Máquina de bebidas causou mortes, diz gerente de McDonald’s no Peru

Arcos Dorados, que opera os restaurantes do McDonald's em toda a América Latina, disse que fechou 29 restaurantes para inspeções de segurança

O gerente-geral da empresa que opera a rede de lanchonetes McDonald’s no Peru disse em entrevista a uma emissora de televisão local que a máquina de bebidas da loja em que dois funcionários morreram eletrocutados no fim de semana passado estava com problemas elétricos.

José Andrade, gerente-geral da Arcos Dorados Peru, que detém a franquia do McDonald’s, disse que os gerentes do restaurante onde as mortes ocorreram não reportaram a falha ao departamento de manutenção da empresa.

“A informação, infelizmente, de que a máquina não estava funcionando e estava dando choques nas pessoas só foi conhecida pelos gerentes locais e não foi escalada para que ações imediatas pudessem ser tomadas”, disse o executivo ao Canal N na noite de sexta-feira.

Os funcionários mortos, Alexandra Porras, de 18 anos, e Carlos Campo, de 19, foram eletrocutados no domingo em Puerto Libre, um bairro da capital Lima, enquanto limpavam a cozinha, disse a polícia.

A Arcos Dorados, que opera os restaurantes do McDonald’s em toda a América Latina, disse na quarta-feira que fechou todos os 29 restaurantes no Peru até que inspeções de segurança fossem feitas, depois de dois dias de luto.

“Com base nas nossas investigações internas, pudemos determinar que, pelo menos 24 horas antes de isso acontecer, sabia-se que a máquina estava apresentando problemas”, afirmou Andrade.