Mapfre tem lucro 90% maior em 2010 e está mais perto do BB

A expectativa é de que já neste semestre, a holding criada com o BB seja consolidada no balanço, segundo seu presidente, Antonio Cássio dos Santos

São Paulo- A Mapfre Seguros está fazendo os ajustes finais para começar a operar a parceria com o Banco do Brasil, que está criando uma das maiores seguradoras do País. Nesta quinta-feira, a Mapfre divulgou o balanço de 2010, último ano que os dados vão mostrar apenas as operações da seguradora espanhola.

A expectativa é de que já neste semestre, a holding criada com o BB seja consolidada no balanço, segundo seu presidente, Antonio Cássio dos Santos. A holding recebeu o nome Grupo BB & Mapfre.

Em 2010, a Mapfre registrou lucro líquido de R$ 360,2 milhões, aumento 90% na comparação com o ano anterior. “Foi o melhor resultado do grupo no Brasil”, destaca Santos. O faturamento em prêmios somou R$ 4,7 bilhões, expansão de 7,1%. Esses dados não incluem a carteira da empresa Mapfre Nossa Caixa, que já foi consolidada no balanço da Aliança do Brasil, seguradora do BB que cuida do ramo vida.

O presidente da seguradora destaca que houve crescimento em todos os ramos, como automóveis e grandes riscos. Nos automóveis, Cassio conta que a estratégia de lançar produtos segmentados já mostra resultados. A seguradora lançou produtos voltados para motocicletas, caminhoneiros, taxistas e para o público feminino. A carteira total cresceu 16,5%.

Nos grandes riscos, a seguradora ficou com a apólice da ferrovia Transnordestina e participou do seguro bilionário da Petrobrás. A área de seguros gerais cresceu 23% em 2010.

O patrimônio líquido da Mapfre cresceu 20,2%, atingindo R$ 1,85 bilhão. Os ativos totais fecharam em R$ 8,3 bilhões, alta de 17,1%. As provisões técnicas se expandiram 17,8%, alcançando R$ 5 bilhões.

O BB e a Mapfre vão criar duas holdings para o setor de seguros. Uma vai cuidar da área de vida, seguro rural e habitacional. A outra vai operar com seguro de automóveis, ramos elementares e affinity (massificados). Falta ainda a aprovação final da Superintendência de Seguros Privados (Susep).