Lucro líquido da CCR atinge R$ 446,8 milhões no 1° tri, alta de 35,8%

Receita líquida, excluindo a receita de construção, somou R$ 1,940 bilhão, montante 14,7% maior que o verificado no primeiro trimestre de 2017

São Paulo – O Grupo CCR registrou lucro líquido de R$ 446,8 milhões no primeiro trimestre de 2018, cifra que corresponde a um crescimento de 35,8% em relação aos R$ 329,0 milhões reportados em igual etapa de 2017.

O lucro líquido na mesma base, que desconsidera a inclusão de novos negócios no período, somou R$ 413,6 milhões, 32,3% superior no comparativo anual.

O critério “mesma base” exclui a concessionária ViaQuatro, que passou a ser controlada a partir do segundo trimestre de 2017, e a ViaRio, cuja participação detida pela CCR aumentou de 33,33% para 66,66% a partir de maio do ano passado.

A coordenadora de Relações com Investidores da CCR, Flávia Godoy, classificou como “bastante satisfatório” o resultado do início deste ano. Do lado operacional, a executiva destaca a manutenção do crescimento do tráfego rodoviário, mas aponta que outros segmentos de atuação da CCR, como mobilidade urbana e aeroportos, também têm mostrado melhora.

“Além disso, o nosso custo caixa mesma base ficou bem em linha com a inflação. Como tivemos, na outra ponta, crescimento de dados operacionais, conseguimos apresentar expansão importante de Ebitda e margem Ebitda”, disse, em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Entre janeiro e março, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da CCR aumentou 17,0% frente a igual período de 2017, para R$ 1,206 bilhão.

O cálculo do indicador exclui despesas não caixa com depreciação e amortização, provisão de manutenção e apropriação de despesas antecipadas da outorga. No trimestre, a margem Ebitda ajustada ficou em 62,2%, alta de 1,2 ponto porcentual (p.p.) na comparação ano contra ano.

O Ebitda ajustado mesma base mostrou alta de 9,3% no comparativo anual, alcançando R$ 1,127 bilhão. Entre janeiro e março, a margem trimestral cresceu 1,0 p.p., para 62,0%.

Também contribuiu para o aumento do lucro o resultado financeiro líquido menos negativo se comparado ao primeiro trimestre de 2017. “O CDI médio teve redução de 6,0 pontos porcentuais no período, então teve uma contribuição importante também”, avaliou Flavia.

A CCR teve um perda financeira líquida de R$ 186,7 milhões no primeiro trimestre, 46,8% menor que os R$ 350,9 milhões negativos anotados um ano antes, refletindo a redução da taxa de juros.

A receita líquida, excluindo a receita de construção, somou R$ 1,940 bilhão, montante 14,7% maior que o verificado no primeiro trimestre de 2017. Pelo critério mesma base, a receita líquida ajustada alcançou R$ 1,891 bilhão no trimestre, 7,6% acima do verificado um ano antes.

Pró-forma

Pelo critério pró-forma, que inclui dados proporcionais das controladas em conjunto, o Ebitda ajustado avançou 12,9% entre os trimestres, para R$ 1,317 bilhão, enquanto a margem ficou em 62,6% (+1,0 p.p.).

Nesse critério, o Ebitda ajustado mesma base avançou 9,3% no primeiro trimestre de 2018 ante o mesmo intervalo de 2017, para R$ 1,226 bilhão. A margem Ebitda ajustada mesma base subiu 0,9 p.p. em relação ao visto um ano antes, para 62,5%.

A receita líquida pró-forma cresceu 11,1% entre janeiro e março no comparativo anual, para R$ 2,103 bilhões. Já a receita líquida ajustada mesma base pró-forma aumentou 7,9% em relação ao anotado no primeiro trimestre de 2017, para R$ 1,963 bilhão.