Lucro líquido da Apple cresce 12% entre abril e junho

A receita da empresa durante esses três meses avançou para US$ 37,4 bilhões, 6% a mais do que há um ano

San Francisco – A gigante tecnológica Apple teve um lucro líquido de US$ 7,74 bilhões entre abril e junho de 2014, seu terceiro trimestre fiscal, o que representa 12% a mais que no mesmo período do ano passado, informou nesta terça-feira a companhia americana.

A receita da empresa durante esses três meses avançou para US$ 37,4 bilhões, 6% a mais do que há um ano, enquanto sua margem bruta aumentou em quase dois pontos percentuais até 14,7%, frente aos resultados de 2013.

Quanto aos lucros por ação, os títulos da Apple geraram durante o passado trimestre US$ 1,28 por ação, frente aos US$ 1,07 por título obtidos durante o mesmo trimestre do ano anterior.

No referente ao acumulado do ano fiscal, a Apple ganhou entre outubro de 2013 -início do presente ano fiscal- e junho de 2014, US$ 31 bilhões, 5,1% a mais que nos primeiros nove meses do ano fiscal anterior.

Neste período, a empresa teve ingressos de US$ 140,6 bilhões, o que representa um aumento de 5,4% com relação aos ingressos registrados nos primeiros nove meses do ano fiscal anterior.

‘Nosso trimestre recorde para junho se baseou na melhora das vendas de iPhone e Mac, assim como no crescimento sustentado dos ingressos provenientes do ecossistema Apple’, disse aos acionistas em comunicado o executivo-chefe da Apple, Tim Cook.

A companhia com sede em Cupertino (Califórnia, EUA.) vendeu entre abril e junho deste ano 35,2 milhões de telefones iPhone, o que representa um aumento de 12,7% nas vendas com relação às 31,2 unidades vendidas no terceiro trimestre do anterior ano fiscal.

Além disso, a Apple publicou suas expectativas para seu quarto e último trimestre fiscal, no qual espera obter ingressos no valor de entre US$ 37 bilhões e 40 bilhões.

Os bons resultados colhidos pela Apple não convenceram os investidores e as ações da companhia baixavam 0,14% nas operações eletrônicas posteriores ao fim da sessão nos pregões nova-iorquinos, até se situar em US$ 94,59 por título.