Lucro do banco Safra fica estável no 1º semestre

Os ativos totais do Safra encerraram junho em R$ 131,1 bilhões, montante 47,5% superior aos R$ 88,861 bilhões registrados no mesmo período do ano passado

São Paulo – O banco Safra encerrou o primeiro semestre deste ano com lucro líquido de R$ 598 milhões, praticamente estável ante igual intervalo de 2012, com leve alta de 0,17%, conforme nota à imprensa. A carteira de crédito, incluindo avais e fianças, teve expansão de 4,88% no período, para R$ 59,892 bilhões.

Os ativos totais do Safra encerraram junho em R$ 131,1 bilhões, montante 47,5% superior aos R$ 88,861 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

O patrimônio líquido do banco foi a R$ 7,1 bilhões, alta de 11,1% na mesma base de comparação. Com esse resultado, a rentabilidade anualizada da instituição (ROE) ficou em 16,7%.

No primeiro semestre, o Safra conseguiu alongar o prazo das suas captações por meio da emissão de letras financeiras junto a clientes institucionais. Esse instrumento cresceu 54,1% em junho ante um ano, para R$ 12,3 bilhões. O saldo de captações, livres de compulsório, foi a R$ 62,277 bilhões, crescimento de 6,6%, na mesma base de comparação.

Inadimplência

A inadimplência do Safra, considerando atrasos acima de 90 dias, encerrou junho em 1,6%. Ao final dos seis primeiros meses de 2013, 94,9% da carteira de crédito do banco estavam classificadas nos níveis de risco AA, A e B, os mais elevados de acordo com critérios do Banco Central.

As despesas com provisões para devedores duvidosos, as chamadas PDDs, do Safra totalizaram R$ 457,5 milhões no primeiro semestre, mais de R$ 50 milhões acima dos R$ 405,9 milhões registrados em igual intervalo do ano passado. As receitas com prestação de serviços e tarifas bancárias, entretanto, caíram. Passaram de R$ 360,8 milhões nos seis primeiros meses de 2012 para R$ 344,8 milhões em igual período deste ano.

O índice de Basileia, que mede quanto o banco pode emprestar sem comprometer o seu capital, encerrou os primeiros seis meses do ano em 14,9%. O mínimo exigido pelo BC é de 11%. Já o índice de eficiência da instituição ficou em 39,9% ao final de junho, com piora de 1 ponto porcentual ante 12 meses, quando o indicador ficou em 38,9%.

O Safra lembra ainda, em nota, que abriu, na primeira metade do ano, uma agência em Luxemburgo, cujo foco será apoiar as operações de comércio exterior de empresas brasileiras.