Lucro da Whirlpool mais que dobra no 4º tri, a US$ 180 mi

A receita da companhia caiu 7,4%, a US$ 5,6 bilhões, em parte influenciada pela fraca demanda no mercado brasileiro

Nova York – A Whirlpool, controladora das marcas Brastemp e Consul no Brasil, divulgou hoje que teve lucro líquido de US$ 180 milhões no quarto trimestre do ano passado, mais que o dobro do ganho de US$ 81 milhões registrado em igual período de 2014.

Na mesma comparação, o lucro por ação subiu para US$ 2,28, de US$ 1,02.

Com ajustes, o ganho por ação foi para US$ 4,10, de US$ 3,52. A receita caiu 7,4%, a US$ 5,6 bilhões, em parte influenciada pela fraca demanda no mercado brasileiro.

O lucro ajustado da Whirlpool superou as expectativas, mas a receita ficou aquém do esperado. Analistas consultados pela Thomson Reuters previam ganho por ação de US$ 3,91 e receita de US$ 5,74 bilhões.

O fabricante de eletrodomésticos norte-americano, que tem sede em Michigan, explicou que a valorização do dólar, que torna seus produtos mais caros no exterior, cortou a receita em 4% no último trimestre.

A Whirlpool também foi prejudicada pela queda da demanda em mercados emergentes. Na América Latina, as vendas caíram para US$ 800 milhões, de US$ 1,3 bilhão um ano antes, em função de efeitos cambiais e de um resultado fraco no Brasil. Já na América do Norte, as vendas tiveram leve alta de US$ 100 milhões, para US$ 2,9 bilhões.

A Whirlpool prevê que seus embarques crescerão 5% na América do Norte este ano. Os embarques para o Brasil, porém, deverão diminuir 10%, segundo a empresa.

Para o lucro por ação de 2016, a Whirpool estima US$ 11,25 a US$ 12,00, ante a previsão de US$ 14,41 por ação dos analistas.