Lucro da japonesa Kirin sobe 11% no ano até setembro

A empresa teve lucro líquido de US$ 344,991 milhões no acumulado de nove meses

Tóquio – A fabricante de alimentos e bebidas japonesa Kirin, que ontem anunciou a compra da totalidade das ações da brasileira Schincariol, informou hoje que seu lucro líquido no período de nove meses encerrado em 30 de setembro cresceu 11%. No entanto, a companhia reduziu pela metade sua estimativa para o ano por causa de uma baixa contábil em sua carteira de ações.

A companhia, que também controla 100% da australiana Lion Nathan e tem uma participação de 48% na filipina San Miguel Brewery, gerou lucro líquido de 26,93 bilhões de ienes (US$ 344,991 milhões) no acumulado de nove meses, contra 24,22 bilhões de ienes no mesmo período do ano passado.

Nos primeiros nove meses de 2010, a Kirin registrou perdas em sua unidade Mercian, cuja divisão de alimentos à base de peixe inflou os lucros contabilizando transações fictícias, e também sofreu um prejuízo especial relacionado ao câmbio, por causa da liquidação de sua unidade holandesa.

As vendas caíram 3,3%, para 1,549 trilhão de ienes (US$ 19,843 bilhões), enquanto o lucro operacional cresceu 5,5%, para 119,97 bilhões de ienes (US$ 1,536 bilhão). Para o ano fiscal cheio, a se encerrar em 31 de dezembro, a Kirin diminuiu sua projeção de lucro líquido de 52 bilhões de ienes para 27 bilhões de ienes e deixou inalterada sua estimativa de vendas, em 2,11 trilhões de ienes.

A revisão para baixo na estimativa de lucro é atribuída a uma perda especial de 18,7 bilhões de ienes que a empresa contabilizou no terceiro trimestre, relacionada a uma baixa contábil em ações, como as do Mitsubishi UFJ Financial Group, em meio à turbulência da bolsa de valores. A empresa mencionou também uma perda extraordinária de 5,1 bilhões de ienes decorrente de uma baixa contábil relacionada a uma distribuidora de cerveja. O balanço da Kirin é baseado nos padrões contábeis japoneses. As informações são da Dow Jones.