Lucro da Eternit cai no 3º trimestre com maior despesa

A empresa ressalta que a demanda por materiais de construção apresentou baixo desempenho no terceiro trimestre, principalmente no mês de setembro

São Paulo – A Eternit registrou lucro líquido de R$ 27,101 milhões no terceiro trimestre de 2012, praticamente estável em relação ao mesmo período do ano passado, com recuo de 0,8%. Segundo a companhia, o resultado foi afetado principalmente em função das primeiras despesas da Companhia Sulamericana de Cerâmica, joint venture entre Eternit e Organizações Corona, além de um resultado financeiro menor.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Eternit foi de R$ 45,255 milhões no período, avanço de 6,9% na comparação com o terceiro trimestre de 2011.

A companhia informa, na apresentação dos resultados, que o Ebitda subiu apesar da evolução de 19,2% nas despesas operacionais, especialmente com maiores gastos com o direito de uso do solo (royalties) em função do acréscimo do faturamento da controlada Sama e defesa da atividade do mineral crisotila (tipo de amianto, cujo uso e produção está sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal). A margem Ebitda ficou estável em 20%.

A receita líquida da Eternit alcançou R$ 229,788 milhões de julho a setembro deste ano, alta de 7,9% na comparação anual. Conforme a empresa, os motivos para o crescimento da receita são o aumento no volume de vendas do mineral crisotila, o reposicionamento de preços em todo o portfólio e a valorização do dólar frente ao real, o que impactou positivamente as exportações.


A companhia informa ainda que, em linha com seu plano estruturado de expansão e diversificação, os investimentos do terceiro trimestre de 2012 atingiram R$ 23,5 milhões, expansão de 53,5% ante igual intervalo de 2011, principalmente, em função da modernização das plantas de fibrocimento, da aquisição de caminhões para a Sama e início da construção da fábrica de louças sanitárias.

A Eternit ressalta que a demanda por materiais de construção apresentou baixo desempenho no terceiro trimestre, principalmente, no mês de setembro, segundo os dados da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat).

O volume vendido do mineral crisotila apresentou aumento no terceiro trimestre deste ano quando comparado com o mesmo período do ano passado de 6,1%, diz a companhia, devido, principalmente, às vendas no mercado externo.

No mesmo período, porém, os volumes vendidos de fibrocimento apresentaram retração de 12,8% no fibrocimento e de 2,7% nas telhas de concreto por conta da desaceleração nestes mercados, acrescenta a companhia.