Lucro da Amex sobe por mais gastos com cartões

Empresa teve lucro líquido de US$ 1,26 bilhão, ou US$ 1,07 por ação

A American Express reportou um lucro maior do que as estimativas do mercado no primeiro trimestre do ano, já que seus clientes gastaram mais com os cartões de crédito. A empresa, porém, reservou mais dinheiro para cobrir empréstimos ruins.

À medida que a economia dos Estados Unidos começa a gerar empregos e ganhar força, consumidores têm gastado mais. As vendas no varejo cresceram 0,8 por cento em março, informou o Departamento de Comércio na segunda-feira, após terem subido 1,0 por cento em fevereiro.

No primeiro trimestre, a companhia teve lucro líquido de 1,26 bilhão de dólares, ou 1,07 dólar por ação, ante 1,18 bilhão de dólares, ou 0,97 dólar por ação, em igual período do ano passado.

As receitas totais da companhia, livres de despesas com juros, foram de 7,61 bilhões de dólares, um avanço de 8 por cento.

Analistas esperavam que a empresa lucrasse 1,00 dólar por ação, com receita de 7,57 bilhões de dólares, de acordo com o Thomson Reuters I/B/E/S.

Os norte-americanos que usam plásticos da empresa gastaram mais nos primeiros meses de 2012 do que fizeram um ano antes.

“Os gastos na rede American Express subiram 12 por cento, continuando fortes ao longo do trimestre, tanto nos EUA quanto no exterior”, disse o presidente-executivo da American Express, Kenneth Chenault, em nota.

Entre as grandes empresas de cartões de crédito, incluindo JPMorgan Chase, Discover Financial, Capital One, Bank of America e Citigroup, a American Express teve a menor taxa de inadimplência em março.

Mas a empresa separou 412 milhões de dólares para cobrir futuras perdas em empréstimos, mais de quatro vezes o valor provisionado para esse fim no mesmo intervalo no ano passado.

A American Express, que empresta diretamente a consumidores mas também compete com a Visa e a MasterCard no processamento de transações com cartões, disse que a receita advinda da rede global e do processamento de transações cresceu 8 por cento, para 1,25 bilhão de dólares.