Lucro consolidado do Santander no padrão Gaap cai 25%

Retorno sobre o patrimônio líquido ficou em 11,7%, menor que os 11,5% registrados no segundo trimestre

São Paulo – O Santander Brasil anunciou lucro líquido de R$ 2 bilhões de janeiro a setembro, recuo de 25% ante os R$ 2,690 bilhões vistos no mesmo período do ano passado, considerando o resultado no padrão contábil brasileiro (BR Gaap) no critério societário. No critério gerencial (mais 100% da reversão da despesa de amortização do ágio), o ganho foi de R$ 4,731 bilhões, queda de 5,7%. No terceiro trimestre, em BR Gaap, o lucro líquido societário é de R$ 591 milhões, alta de 6,6% sobre o segundo trimestre, e o gerencial de R$ 1,5 bilhão, 2,5% maior na mesma comparação.

O retorno sobre o patrimônio líquido do Santander ficou em 11,7% no terceiro trimestre deste ano, menor que os 11,5% registrados no segundo trimestre.

O banco espanhol terminou setembro com carteira de crédito de R$ 207,334 bilhões, aumento de 0,8% sobre o segundo trimestre deste ano e de 10,1% ante o mesmo intervalo do ano passado. A linha de pequenas e médias empresas foi a que mais cresceu no padrão BR Gaap no terceiro trimestre, com alta de 3,6% ante o segundo, para R$ 34,824 bilhões.

A carteira de crédito de pessoa física totalizou R$ 69,388 bilhões ao final de setembro, alta de 0,8% ante junho e de 9,5% na comparação com setembro de 2011. Os empréstimos para grandes empresas também aumentaram. Esta linha totalizou R$ 66,782 bilhões em setembro, leve aumento de 0,4% em relação com junho e de 5,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os ativos totais do Santander no padrão BR Gaap totalizaram R$ 442,788 bilhões ao final de setembro, aumento de 1,6% ante o mesmo mês do ano passado.

O índice de Basileia do Santander terminou o terceiro trimestre em 22,1%, abaixo dos 24,2% do mesmo período do ano passado. Desconsiderando o efeito do ágio e conforme o padrão internacional, o indicador ficou em 18,6% no período.

O índice de inadimplência, superior a 90 dias, atingiu 5,1% no terceiro trimestre, alta de 0,2 ponto porcentual quando relacionado ao segundo. Em um outro documento em BR Gaap (de Demonstrações Financeiras Consolidadas), o banco informou que o índice de inadimplência, superior a 90 dias, atingiu 136,4% do total da carteira de crédito, mostrando redução de 1,3 ponto porcentual em relação ao trimestre anterior. Já no press release de resultados o dado de 136,4% é apresentado como índice de cobertura.

Atualizado às 14:37