Luce exerce opção de venda e Cemig amplia fatia na Light

Com a operação, a Cemig passa a controlar aproximadamente 52% da Light

São Paulo – A Cemig anunciou na manhã desta quinta-feira que a Enlighted Partners Venture Capital exerceu a sua opção de venda de parcela no controle da Light.

A empresa norte-americana possuía as cotas da Luce Investiment Fund, que detém 75 por cento da Luce Brasil Fundo de Investimento em Participações, que, por sua vez, é detentora indireta, por meio da Luce Empreendimentos e Participações, de 13,03 por cento do capital total da Light.

A possibilidade de compra desta participação já havia sido sinalizada pela estatal mineira em 24 de março, e a Luce tinha até a quarta-feira para divulgar sua decisão.

Em março, a Cemig afirmou que o preço das cotas, caso a opção fosse exercida, era de 340,4 milhões de dólares.

Com a opção de venda, a Cemig passa a ter cerca de 52 por cento do capital social e votante da Light.

“O fechamento dessa operação está condicionado ao atendimento de determinados requisitos contratualmente estabelecidos, bem como à aprovação dos órgãos competentes, assim como, nos casos em que for necessário, dos agentes financiadores e debenturistas da Light e de suas controladas”, disse a Cemig em comunicado.


Em dezembro de 2009 a Cemig adquiriu as participações da Andrade Gutierrez e da Equatorial Energia na Light, num processo de reestruturação do bloco de controle da empresa. Assim, a companhia mineira passou a ter 39 por cento das ações da distribuidora e geradora fluminense por 1,6 bilhão de reais.

Antes dessa reestruturação, as quatro empresas –Cemig, Andrade Gutierrez, Equatorial e Luce– tinham 52 por cento da Light por meio da Rio Minas Energia, que foi extinta nesse processo.

“A notícia é neutra para as empresas. O movimento já era esperado desde o fim da Rio Minas”, diz o analista do setor de energia elétrica da Brascan Corretora, Rafael Quintanilha.

As ações da estatal mineira operavam em queda de 1 por cento no início dos negócios desta quinta-feira, enquanto a Light subia 2,5 por cento. O Ibovespa caía 0,75 por cento.

Leia mais notícias sobre aquisições

Siga as notícias do site EXAME sobre Negócios no Twitter