Localiza já gera mais receita com venda de seminovos do que com locação

Lucro da empresa cresce 365% no terceiro trimestre

São Paulo – A Localiza, maior locadora de veículos do país, fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de 53,9 milhões de reais. A cifra é 364,7% maior que a do mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a setembro, o lucro foi de 126,8 milhões de reais, indicando um crescimento de 195,6% sobre a comparação.

Embora se apresente como uma empresa focada no aluguel de veículos, a principal fonte de receitas da Localiza, neste ano, tem sido a venda de carros seminovos. No terceiro trimestre, a receita líquida da companhia foi de 526,1 milhões de reais, dos quais 307,9 milhões de reais vieram da comercialização de automóveis. No mesmo período do ano passado, esse negócio rendeu 139,5 milhões.

No acumulado do ano, a receita líquida ficou em 1,379 bilhão de reais – um aumento de 59,9% sobre o ano passado. A receita com a venda de seminovos também liderou nessa conta, com 786,6 milhões de reais, ante os 591,1 milhões oriundos de aluguéis. O ritmo de crescimento da receita de seminovos é maior: foi de 86,9% até setembro, ante 31,1% para a locação.

A maior participação de seminovos nos negócios da Localiza não é um problema, de acordo com o Itaú. Em relatório assinado pela analista Renata Faber, o banco afirma que os recursos gerados pela venda de veículos permitem a renovação da frota para locação – a atividade com maior margem de ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação).

Entre julho e setembro, a margem de ebitda da divisão de locações foi de 52,5% – 4 pontos percentuais acima dos 48,4% registrados no mesmo período do ano passado. Já a margem de ebitda da venda de carros usados foi de 3,3%. O indicador também melhorou, mas em ritmo menor – 0,9 ponto percentual sobre os 2,4% da comparação.

Leia mais sobre a Localiza

Acompanhe as notícias de Negócios no Twitter