Latam estende até 25 de abril reprogramação de voos por greve

Desde o início da greve no Chile 1.575 voos foram cancelados e mais de 200 mil passageiros afetados

Santiago do Chile – O grupo aéreo Latam anunciou nesta quarta-feira que resolveu estender até 25 de abril o cancelamento ou reprogramação de voos de sua filial local no Chile Lan Express, após a decisão dos tripulantes de cabine de seguir com uma greve iniciada no último dia 10, em reivindicação de melhorias trabalhistas.

A companhia “lamenta os inconvenientes e moléstias que esta situação causou aos seus passageiros”, disse a Latam em comunicado, no qual reiterou sua disposição ao diálogo com o Sindicato de Tripulantes de cabine para alcançar um acordo satisfatório o mais rápido possível.

“Estamos muito conscientes que nossos passageiros são os mais afetados por esta paralisação, por isso que estamos fazendo todos os nossos esforços para diminuir os impactos que esta situação está gerando”, afirmou no texto, Claudia Sender, vice-presidente de clientes da Latam.

A empresa e os dirigentes do sindicato tinham alcançado um acordo sobre dias trabalhados e livres dos tripulantes, o principal ponto de discórdia, mas na terça-feira, os filiados à organização laboral, rejeitaram porque estendia os benefícios alcançados aos trabalhadores ímpar filiado, que continuaram seus trabalhos durante a greve.

A extensão do prazo para reprogramar voos representa para a empresa o cancelamento de outros 441 voos, com um total de 1.575 e mais de 200 mil passageiros afetados desde o início da greve.

“É importante reiterar que, por enquanto, esta situação só afeta as rotas dentro do Chile e alguns voos na América do Sul. As operações de longa distância não serão afetadas”, recalcou a companhia no comunicado.

A empresa reiterou que os passageiros que desejem mudar a data de sua viagem poderão fazê-lo, sem multa, até 30 dias depois da data original de voo.

Também aceitará devoluções de passagens sem nenhum tipo de penalidade.