Justiça determina que Bradesco é sucessor do Banco Econômico

Com decisão, banco poderá pagar indenização milionária a ex-cliente do Econômico

São Paulo – Há anos corre na Justiça um processo o qual o Bradesco tenta provar que não é sucessor do Banco Econômico – liquidado em 1996.

A última decisão, no entanto, proferida pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), determinou que o Bradesco é sim sucessor do Econômico e poderá até arcar com uma indenização milionária a um ex-cliente do banco liquidado.

Segundo informações do Valor Econômico, desta terça-feira, o valor da indenização ao espólio Leopoldo Batista de Souza pode chegar a 1 bilhão de reais, mas, para o Bradesco, o processo é de cerca de 10 milhões de reais.  O banco pode ainda recorrer.

Entenda o caso

Em 1996, o Banco Econômico foi liquidado pelo Banco Central e comprado pelo Banco Excel. Em 1996, o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) adquiriu o Excel e por fim, o Bradesco comprou o BBVA, em 2003.

Atualmente, o BBVA é o Banco Alvorada – o qual o Bradesco alega que é mero controlador.