Justiça dá liminar que susta despejo de LAN de hangar

A liminar permitirá à LAN permanecer com a base de manutenção dos 12 aviões que realizam voos diários a 14 trechos

Buenos Aires – A Justiça da Argentina concedeu liminar em favor da companhia aérea LAN, subsidiária da Latam, determinando a suspensão do despejo do hangar que ocupa no aeroporto metropolitano Jorge Newberry (Aeroparque) determinado pelo Organismo Regulador do Sistema Nacional de Aeroportos (Orsna), no dia 20.

A liminar permitirá à LAN permanecer com a base de manutenção dos 12 aviões que realizam voos diários a 14 trechos. A companhia havia informado que, sem o hangar, seria obrigada a interromper as operações dentro do país.

O recurso legal foi apresentado pela LAN na segunda-feira, 26. Os sindicatos aeronáuticos anunciaram uma greve em todas as companhias que operam no país para esta quinta-feira, 29, caso o despejo fosse concretizado. A decisão da Justiça foi tomada um dia antes de expirar o prazo de dez dias que o governo havia dado à companhia para desalojar o hangar.

A juíza Claudia Rodríguez Vidal pediu ao Estado informações sobre o caso dentro dos próximos cinco dias. A LAN tem um contrato de uso do hangar até 2023, mas a administração argentina alega que a ruptura unilateral está prevista em caso de necessidade do Estado.

Nesta terça-feira, 27, um vídeo divulgado pela imprensa local mostrou que o presidente da principal competidora da LAN, a estatal Aerolíneas Argentinas, Mariano Recalde, reconheceu em público que havia pedido à presidente Cristina Kirchner para tirar voos da LAN com o objetivo de melhorar as margens de lucro da estatal.