João Paulo Baptista Campi: com web tecnologia, regulação do SUS é mais eficiente

Resultados da regulação com sistemas de tecnologia, em São Paulo e em Goiás, são prova de que é possível agilizar o processo com transparência e eficiência.

Segundo João Paulo Baptista Campi, resultados da regulação com sistemas de tecnologia, em São Paulo e em Goiás, são prova de que é possível agilizar o processo com transparência e eficiência.

Na avaliação do diretor da Duosystem Inteligência em Saúde, João Paulo Baptista Campi, os sistemas web vêm permitido a visualização da situação da rede assistencial em diversas regiões de saúde e o acompanhamento das regulações em tempo real. Isso, destaca, “são elementos imprescindíveis para a definição de metas de produção e supervisão de resultados, proporcionando maior racionalidade ao sistema”.

Segundo João Paulo Baptista Campi, exemplo disso é a Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS), em São Paulo: sistema desenvolvido pela Duosystem. Hoje, o serviço operacionaliza as ações de regulação da Secretaria de Estado de Saúde do Estado. “Os números anuais de atendimentos da CROSS são expressivos”, afirma o diretor-presidente da empresa.

Para se ter uma ideia, apenas em São Paulo, o sistema de regulação proporciona a marcação anual de 10 milhões de consultas médicas, 6,9 milhões de exames, mais de 1 milhão de internações e 524,8 mil regulações de urgência e emergência. A base de dados é de 23,5 milhões de pacientes: mais da metade da população do Estado.

Resultados semelhantes são observados também em Mato Grosso do Sul. Lá, a informatização da central de regulação local permitiu a intermediação de mais de 75,3 mil atendimentos em 2018. Antes, quando a regulação era operada via telefone e faz, eram 9,4 mil registrados.

“Os avanços viabilizados pelos sistemas de regulação também garantem mecanismos de transparência na ordenação dos fluxos de acessos e serviços de saúde, sendo possível acompanhar, por exemplo, a posição dos pacientes em filas de atendimentos”, explica João Paulo Baptista Campi.

Para o diretor da Duosystem, diante dos resultados, é indiscutível que a evolução dos sistemas de regulação trouxe avanços na qualidade dos serviços prestados aos usuários do SUS. “Levando em conta, os três princípios doutrinários que conferem a legitimidade ao SUS – a universalidade, integralidade e equidade –, a regulação possui papel fundamental na garantia de acesso e oferta de atendimento de qualidade aos cidadãos”, afirma.