Grife humanitária Spesworld ajuda no desenvolvimento de países subdesenvolvidos da África

Atualmente em Uganda, a marca planeja ampliar seu orfanato e expandir para outros países africanos que necessitem de ajuda humanitária

Uganda, na África, é um país com mais de 34 milhões de habitantes. É pouco populoso se comparado com os mais de 200 milhões de brasileiros, mas o país africano tem dados significativos no que diz respeito à economia. O país é considerado um dos mais pobres do mundo, principalmente devido às décadas de guerras e corrupção que marcaram os habitantes.

Foi conhecendo a realidade pobre de Uganda e vendo a necessidade em ajudar as crianças, jovens e adultos que a jovem digital influencer Hadassa Valadão decidiu se mobilizar. Como maneira de mudar a realidade do local, ela criou um projeto inovador, a Spesworld (spes que significa esperança e world mundo). Trata-se de uma grife humanitária em que são vendidos itens especiais, e a renda da venda dos produtos é revertida para o projeto social. Além disso, quem quer ajudar as crianças pode escolher um plano de apoio e contribuir mensalmente com a Spesworld.

 

O intuito da grife é vender as camisetas do projeto, feitas em algodão, em dois modelos. Uma, com a logo do projeto grande na frente, e outra lisa com a logo pequena do lado esquerdo do peito. Ambos os modelos são comercializados em todos os tamanhos, e em três cores: branca, cinza e preta. Os interessados podem ajudar o projeto adquirindo uma ou mais unidades na loja virtual da Spesworld no site https://www.spesworld.com/.

 

Através do site também é possível contribuir financeiramente de maneira prolongada. Os colaboradores escolhem um plano de apoio e mensalmente realizam doações ao projeto. São três tipos de planos, começando com o prata, em que o apoiador contribui mensalmente com a causa em 35 reais, por no mínimo 12 meses. O plano intermediário é o ouro, com auxílio de 50 reais mensais ajudando na manutenção do projeto e do orfanato. Para quem pode contribuir com um valor mensal maior, a contribuição fica em 135 reais, e por meio dessa quantia, o apoiador está, não só apoiando a continuidade da Spesworld, como também apadrinhando uma das crianças africanas que são mantidas pelo programa.

 

Com a renda obtida na venda das peças e nas contribuições mensais, atualmente a Spesworld já mantém 400 crianças órfãs africanas em um orfanato que será ampliado com maior adesão e apoio ao projeto social. A segunda fase é a construção de centros comunitários que englobem orfanatos para abrigar os órfãos, escola com estrutura física apropriada para desenvolvimento do ensino fundamental, médio e cursos profissionalizantes.

 

Prévia da segunda fase do projeto

 

Além disso, os espaços deverão contar com horta para trazer da terra alimentação saudável, clínicas para atendimento emergencial e ambulatorial, salas de vacinas e observação.

 

A Spesworld já conseguiu alguns apoios e montou todo o projeto de infraestrutura necessária para os locais que irão receber os centros. Cada terreno deverá ser doado pelo governo ou instituições parceiras, e todo o material empregado na construção do projeto deve ser tirado do ecossistema local, com o mínimo de material importado. As obras serão supervisionadas por engenheiros parceiros da grife.

 

Área total do projeto comunitário

 

Para a construção desse projeto serão escolhidas nações candidatas ao projeto Spesworld de acordo com suas necessidades e pedidos feitos formalmente à grife. Assim que estiverem prontos, os locais deverão abrigar intercambistas e voluntários em regime de férias, por períodos de três a seis meses de trabalho, ou quem se dispuser a servir por no mínimo um ano. Eles irão participar das atividades e auxiliar em todas as áreas de atuação, especialmente em educação e saúde.

 

Para saber mais sobre a marca, acompanhe o seu instagram https://www.instagram.com/spesworld/. Lá eles publicam novidades e notícias constantemente sobre o projeto social.