Conheça Junior Moreira: um jovem que saiu do emprego e hoje ganha acima de 100 mil reais por mês na internet

Veja como Junior fez para, mesmo sem se formar na escola e saindo do emprego, construir um negócio rentável pela internet

Junior Moreira tinha 15 anos quando começou a trabalhar em uma loja no shopping com carteira assinada. Devido ao trabalho, decidiu parar de estudar, quando ainda estava no primeiro ano do ensino médio. Neste emprego, ele ficou por três anos, e depois atuou como representante de uma empresa de vendas de pacotes de televisão por assinaturas, ganhando um salário de 850 reais por mês. Na época, o jovem morava de aluguel e tinha que ajudar os pais. 

Em 2015, ele decidiu se arriscar e iniciar seu primeiro negócio, focado em marketing de relacionamento. “Tive alguns bons resultados, mas depois passou a não dar mais certo, e aí em meados de 2016 conheci o marketing digital”, ele conta. 

Foi então que Junior decidiu estudar mais sobre o assunto e, em 2017 mergulhou de cabeça no mundo digital. No início, como ele explica, foi um pouco mais complicado, porque trabalhava mas não colhia grandes resultados. Mas, em 2018, o mercado começou a mudar e, em novembro do mesmo ano, ele criou o treinamento “Demiti meu patrão”. A mentoria tem o foco de ensinar pessoas que têm vontade de trabalhar pela internet como afiliados a iniciarem seus negócios do zero, e em 2019 o empreendedor criou também o “método Instagrana” que ensina pessoas a ganharem dinheiro usando o Instagram e assim ter mais tempo e qualidade de vida trabalhando em casa. 

Objetivo – O sonho de Junior com sua profissão era de possibilitar uma qualidade de vida melhor para os pais e ter seu próprio negócio, pois ele sempre quis ter qualidade de vida e flexibilidade de horários. Com isso, Junior pretendia ganhar uma média de quatro mil mensais, necessariamente para pagar suas contas. No final de 2018, já estava ganhando acima de 40 mil no mês e em 2019 ultrapassou a casa dos 100k mensais. 

As vendas e consumo pela internet aumentam de forma drástica, e atualmente quase metade da população brasileira usa a internet e faz compras por ela. Partindo desse pressuposto, se há pessoas comprando, deve haver oferta. 

“Porque assim como eu, acredito que muitas pessoas não estão tão satisfeitas com seus empregos, salários ou tempo livre durante o dia a dia. Eu acredito que sim, nós podemos realizar a vida que sempre sonhamos, a partir do momento que fizermos algo para que isto aconteça. E se eu consegui, qualquer um pode”, ele finaliza.