Chefiada por Maitê Pedroso, Miss Pink capta 10 milhões de dólares e chega aos Estados Unidos

O empreendedorismo movimenta cada vez mais dinheiro ao redor de todo mundo. Mesmo em tempos difíceis no Brasil, não faltam exemplos de mulheres de sucesso em território nacional. Aos 30 anos, Maitê Pedroso é uma das referências do meio no país. 

Empresária há oito anos, ela é fundadora da Miss Pink, empresa de cosméticos que funciona de forma inovadora como microfranquia itinerante – cabe no porta-malas de um carro. Com milhões de faturamento e mais de 50 franqueados, ela resolveu explorar um novo mercado. E já colheu os frutos. 

“Mesmo sem faturamento, consegui vender 50% da Miss Pink Estados Unidos por 10 milhões de dólares (aproximadamente R$ 40 milhões). Ou seja, vendi apenas pelo meu background no Brasil e agora vou poder iniciar de vez as atividades em solo norte-americano”, pontua. 

A negociação milionária, cabe ressaltar, não envolve qualquer porcentagem da Miss Pink no Brasil. Fundado em 2014, a Miss Pink também é uma forma de aumentar o número de mulheres empreendedoras e mostrar que é possível mudar de vida com um negócio próprio. 

“Sou um exemplo de que é possível empreender, mesmo em meio a tanto preconceito e dificuldades. Nossas franquias são uma boa alternativa para quem quer começar. Basta persistir para chegar lá”, completa. 

Como uma série de usuárias famosas, a Miss Pink soma mais de 250 mil seguidores nas redes sociais. No perfil, a marca divulga alguns de seus produtos. Referência no ramo, Maitê também tem grande público: mais de 50 mil pessoas a acompanham no Instagram.