JBS prevê investir menos e reduzir endividamento em 2013

Companhia prevê investir entre 1 bilhão a 1,2 bilhão de reais em 2013, abaixo dos 1,6 bilhão de reais do ano anterior

São Paulo – A JBS, maior produtora de carnes do mundo, prevê investir entre 1 bilhão a 1,2 bilhão de reais em 2013, abaixo dos 1,6 bilhão de reais do ano anterior, disse o presidente da empresa nesta quinta-feira.

A companhia também espera reduzir a alavancagem –dívida líquida em relação ao Ebitda– para 3 a 2,5 vezes, segundo projeção feita durante conferência com analistas na qual comentou seus resultados.

“Grande parte disso é capex (gasto com investimento) de manutenção e melhorias nas fábricas existentes, ampliação de capacidade instalada… É basicamente nos negócios que já existem”, disse o presidente Wesley Batista.

A JBS passou por um processo de expansão adquirindo e arrendando unidades ao longo de 2012 e desde então a companhia vem ressaltando que chegou ao momento de consolidar as operações feitas no período.

Na conferência, Batista disse que a companhia abriu recentemente quatro unidades que estavam paradas no Mercosul elevando a capacidade de abate.

A operação da JBS Mercosul obteve receita líquida de 18 bilhões no ano passado, incremento de 20,7 por cento sobre 2011.

A empresa teve lucro líquido de 66,4 milhões de reais no quarto trimestre, alta de 160 por cento ante igual período do ano anterior, beneficiada pelo aumento das vendas e dos preços tanto em aves como bovinos.

Endividamento

Batista disse ainda que a companhia tem como objetivo reduzir o nível do endividamento para entre 3 a 2,5 vezes em 2013.

A empresa veio reduzindo gradativamente este nível no último ano, caindo de 4 vezes no quarto trimestre em 2011 para 3,4 vezes no último trimestre do ano passado.

A redução da alavancagem foi considerado um dos pontos positivos no desempenho da empresa, segundo comentários da mesa da JP Morgan.

Os resultados da companhia foram considerados mistos para o quarto trimestre. Analistas do Citibank ressaltaram que tanto as vendas como os custos favoráveis favorecem o Mercosul, mas alertam para o ambiente desafiador da unidade de bovinos JBS USA.