JBS-Friboi estréia no fornecimento de carne para fast-food

Compra da italiana Inalca garante exclusividade no fornecimento de carne para o McDonald's em cinco países europeus

A compra de 50% da maior fornecedora de carnes da Itália, a Inalca, colocará a líder mundial do setor, a brasileira JBS-Friboi, na lista dos principais fornecedores da rede McDonald’;s e de outras empresas de fast-food na Europa.

Nesta sexta-feira (07/12), um dia após fechar o acordo de 225 milhões de euros com a Cremonini, dona da Inalca, o diretor presidente da JBS, Joesley Mendonça Batista, destacou a estréia da empresa nesse setor.

“Um dos principais racionais da aquisição é nos colocar no segmento de fast-food. O futuro da Inalca seguramente passa por aí”, disse ele, numa teleconferência com investidores realizada nesta sexta-feira.

A Inalca atua hoje como fornecedora exclusiva de hambúrgueres para o McDonald’;s na Itália, Rússia, Chipre, Dinamarca e Grécia além de ser uma das principais parceiras da rede na Bélgica, na Espanha, no Reino Unido e em outros países do continente.

Antes da aquisição, a companhia italiana já comprava carne da JBS, mas agora a brasileira terá um canal de vendas garantido com o McDonald’s, já que os contratos de exclusividade da Inalca com a rede americana duram pelo menos cinco anos.

A empresa italiana é também uma das únicas do mundo com direito a fornecer hambúrgueres tanto para o McDonald’;s quanto para os concorrentes da lanchonete – na Europa, por exemplo, a companhia tem o Burger King como cliente.

Embora não tenha revelado a porcentagem do faturamento da Inalca que decorre desses contratos, Joesley Mendonça Batista afirmou que a proporção é “significativa” e ressaltou que sem a aliança com a Cremonini a entrada nesse setor teria sido mais complicada.

“Durante muitos anos, o McDonald’;s teve apenas dois fornecedores de hambúrguer e a Inalca conseguiu, após muito tempo, se habilitar como terceira fornecedora. Os contratos com essas empresas muitas vezes são bastante rígidos, exigem equipamentos e linhas de produção próprios, mas com a parceria, seremos a companhia mais integrada nesse sentido”, afirmou.

Para o diretor presidente da JBS, a estrutura tecnológica da Inalca será outro benefício da aquisição, uma vez que, segundo segundo ele, a empresa italiana é o “maior celeiro tecnológico do mundo no setor de carne”.

Como parte da compra, a companhia brasileira passa a ter acesso à empresa de pesquisa de máquinas e patentes ligada à Inalca, a TecnoStar.

“Eles estão um nível acima de quase todas as empresas de carne do mundo, nessa área, já que conseguem automatizar processos ainda muito manuais, como o abate e a desossa. Podemos expandir os avanços obtidos lá para as nossas plantas em outros países”, afirma o diretor de relações com investidores da JBS, José Paulo Macedo.

A aliança com a Cremonini reflete a estratégia de internacionalização da JBS, uma das principais apostas da companhia para manter-se na liderança do setor. Na aquisição mais recente, há dois meses, a JBS comprou por 20 milhões de dólares o frigorífico argentino Col-Car, a sexta planta da empresa no país, onde ela ocupa a liderança no ranking do setor.