Itaú Unibanco anuncia joint-venture com Banco BMG

A joint-venture será estruturada como um novo negócio, chamado Banco Itaú BMG Consignado

Rio de Janeiro – O Itaú Unibanco anunciou nesta terça-feira uma aliança com o banco mineiro BMG para ampliar sua atuação em créditos consignados, mirando liderar o segmento entre os bancos privados.

Além de ajudar no avanço de crédito com desconto na folha de pagamento, a nova joint-venture permitirá à maior instituição financeira privada alcançar milhões de novos clientes para seus serviços bancários.

“O Itaú Unibanco espera atingir a liderança entre os bancos privados neste segmento considerando, além das suas operações, a carteira da joint-venture, que nos próximos dois anos deve atingir o volume de aproximadamente 12 bilhões de reais”, disse o banco em comunicado ao mercado.

“O Itaú Unibanco poderá, ainda, ofertar produtos bancários a uma base de aproximadamente três milhões de novos clientes”, de acordo com a nota.

Com capital social inicial de 1 bilhão de reais, a nova entidade será denominada Banco Itaú BMG Consignado, com o Itaú no controle com 70 por cento do capital total da nova entidade, enquanto o BMG deterá o restante.

O contrato de associação entre os bancos, que visa a oferta, distribuição e comercialização de créditos consignados no Brasil, foi celebrado em 9 de julho.

O BMG foi assunto de recentes matérias na imprensa sobre potencial associação com Bradesco ou BTG Pactual. O Itaú não foi citado como potencial parceiro.

Especializado em crédito consignado, o BMG é controlado pela família Guimarães, especialmente pelo presidente do conselho de administração Flávio Pentagna Guimarães, que detém 55,9 por cento, segundo o site da empresa.

“O Itaú Unibanco contribuirá com sua capacidade econômico-financeira e experiência administrativa e de controles, e o BMG contribuirá com sua competência comercial e operacional, além da plataforma tecnológica necessária ao desenvolvimento das atividades da joint-venture”, disse o Itaú em comunicado ao mercado.


O novo empreendimento, segundo o comunicado, compartilhará os canais de distribuição com o BMG e poderá financiar 70 por cento dos créditos consignados originados por esses canais, enquanto os 30 por cento restantes serão contratados diretamente pelo BMG.

As operações de crédito consignado feitas em agências para clientes do Itaú Unibanco continuarão operando independentemente da nova associação e serão contabilizadas integralmente pelo banco.

O Itaú não espera que a associação tenha “efeitos contábeis relevantes” nos resultados do atual exercício.

“Esta operação é mais um passo no sentido de consolidar a estratégia do Itaú Unibanco de operar com ativos de menor risco e menor spread, com rentabilidade atraente”, segundo o comunicado.

Os bancos esperam efetivar o negócio no prazo de 90 dias, após cumprimento de condições precedentes, celebração de contratos definitivos e aprovações regulatórias.