iPhone e Galaxy Gear são aguardados pelas transportadoras

Transportadoras asiáticas podem conseguir quebrar a sequência de perdas após seis meses consecutivos sofrendo com uma queda no tráfego

Tóquio/Cingapura/Hong Kong – Os novos iPhones da Apple Inc. e relógios Galaxy Gear da Samsung Electronics Co. são os dispositivos que as empresas asiáticas de transporte aéreo estavam esperando.

As transportadoras asiáticas, que há seis meses consecutivos sofrem com uma queda no tráfego, podem conseguir quebrar a sequência de perdas com a ajuda de novos aparelhos. A Samsung acaba de revelar seu Galaxy Gear e o tablet Note 3 e a Apple planeja mostrar seus novos iPhones na semana que vem, o que resulta em uma corrida para entregar os produtos das fábricas da Ásia a tempo da temporada de compras de Natal.

Como consequência da desaceleração do crescimento da China, os transportadores de cargas precisarão dos consumidores estadunidenses e europeus para lucrar com os novos modelos uma vez que o transporte de eletrônicos é seu maior negócio. Seis das dez maiores empresas de frete aéreo estão na Ásia, por isso o estímulo alivia a pressão por ganhos em empresas como a Korean Air Lines Co., que transporta os telefones da Samsung, e a Cathay Pacific Airways Ltd., de Hong Kong.

“O mercado precisa de produtos revolucionários pra gerar demanda constante”, disse Park Eunkyung, analista da Samsung Securities Co. em Seul. “Sempre que um aparelho é lançado, há um aumento nos fretes por cerca de 15 dias a um mês”.

O transporte de cargas na Ásia caiu todos os meses desde fevereiro, mergulhando 1,4 por cento em julho, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo. Os fretes globais subiram 1,2 por cento, ajudados por um aumento de 14 por cento no Oriente Médio.

A Korean Air, a maior empresa aérea de cargas da Ásia, transportou 2,1 por cento menos cargas no segundo trimestre. A Cathay, número 2 na região, registrou seis meses consecutivos de declínio até julho.

Apple, Samsung

Transportadoras como United Parcel Service Inc. e DHL Worldwide Express conseguem demanda transportando produtos acabados e os componentes que viajam para construir os aparelhos.

A demanda por aparelhos é tipicamente forte imediatamente após o lançamento e as empresas correm para novos mercados usando aviões. Transportar bens de alto valor agregado como smartphones e tablets em navios afeta os esforços para conquistar participação de mercado rapidamente.

“Nós queremos que a Apple e a Samsung lancem novos produtos mais frequentemente”, disse Zhu Zhiyong, gerente geral de vendas e marketing da Yangtze River Express Airlines Co. A empresa transportou cada um dos principais modelos de iPhone e iPad usando seus jumbos 747 da Boeing Co. para os Estados Unidos, saindo de Chengdu e Chongqing, na China.


“Novos produtos darão às transportadoras poder de negociação do preço, especialmente em setembro, pouco antes do pico da época de compras de Natal”, disse Zhu.

Com componentes como cartões de memória e câmeras vindos de diferentes lugares, os fretes aéreos são essenciais para evitar atrasos. O iPhone, desenhado na Califórnia, tem peças feitas pela Samsung na Coréia do Sul e pela Sony no Japão. Todas elas têm que ser enviadas para produção nas linhas de montagem da China sem sobressaltos.

Lucro da Cathay

Combinada, essa cadeia logística é fundamental para a geração de tráfego para as empresas de transporte aéreo de carga.

“Os fabricantes exigem entregas no prazo, por isso confiam nas empresas de transporte aéreo e não se importam em pagar mais para transportar esses produtos por empresas de qualidade”, disse Eric Lin, analista da UBS Securities Asia Ltd. em Hong Kong.

No mês passado, a Cathay reportou seu lucro mais baixo em pelo menos 15 anos após as receitas com cargas caírem. Embarques de produtos tecnológicos representam mais da metade do volume de frete, disse Kelvin Lau, analista em Hong Kong da Daiwa Securities Group Inc. “Nós definitivamente damos as boas-vindas a esses lançamentos de novos produtos uma vez que eles apresentam novas oportunidades para cargas aéreas”, disse Elin Wong, uma porta-voz da Cathay, por e-mail.

Mais leve, mais fino

O iPhone 5 pesa 3,95 onças (111,98 gramas), contra as 4,90 onças (138,91 gramas) do iPhone 4S.

“Isso é bom para os consumidores, porém má notícia para as empresas de transporte aéreo, uma vez que as taxas são frequentemente determinadas pelo peso e pelo tamanho”, disse Um Kyung A, analista em Seul da Shinyoung Securities Co.

Com uma série de novos produtos a caminho, as transportadoras de carga podem esperar uma inversão na tendência de baixa. A Apple ajudou a indústria no passado também. Quando o iPhone 5 foi colocado à venda em setembro do ano passado, o declínio no tráfego de mercadorias na região Ásia-Pacífico caiu para 2,6 por cento, aliviando uma queda de 6,3 por cento.

“Os produtos da Apple obviamente estimularão o tráfego aéreo, especialmente no atual mercado, longamente sombrio”, disse Lin, da UBS.