Investimentos da Petrobras caem 11% no 1º trimestre

Em relação ao primeiro trimestre de 2010, o custo de extração do barril do petróleo aumentou 21,1%, sem contabilizar a participação governamental

Rio – Os investimentos da Petrobras no primeiro trimestre de 2011 somaram R$ 15,87 bilhões, o que representou uma queda de 11% em comparação com o mesmo período de 2010. Segundo a empresa, os investimentos tiveram foco na área de Exploração e Produção, que recebeu R$ 7,196 bilhões, 7% a menos do que no mesmo período do ano passado.

Os recursos destinados à área de Abastecimento somaram R$ 5,845 bilhões, representando 38% do total investido no trimestre. Os investimentos deram continuidade à modernização do parque de refino e representaram alta de 11% ante o mesmo período no ano passado.

Na área de Gás e Energia os investimentos recuaram de R$ 1,629 bilhão no primeiro trimestre de 2010 para R$ 917 milhões no primeiro trimestre de 2011, em razão da consolidação de grandes projetos na malha de gasodutos ocorrida em 2010.

A área de distribuição ficou com investimentos de R$ 235 milhões crescimento de 103% em relação ao mesmo período no ano passado. O segmento de biocombustíveis recebeu investimentos de R$ 219 milhões, aumento de 89% entre os dois períodos. Já a área internacional teve uma queda de 41% nos investimentos, para R$ 870 milhões.

Custo de extração

O custo de extração de petróleo (lifting cost) da Petrobras no Brasil foi de US$ 11,38 por barril no primeiro trimestre de 2011 uma alta de 10,6% em relação aos US$ 10,29 por barril apurados pela estatal no quarto trimestre de 2010. O indicador desconsidera as participações governamentais. Incluindo as taxas pagas ao governo, como royalties e participações especiais, o custo de extração subiu 19,2%, para US$ 30,48 por barril.

Em relação ao primeiro trimestre de 2010, o custo de extração do barril do petróleo aumentou 21,1%, sem contabilizar a participação governamental. Considerando as participações governamentais, o incremento no custo de extração em igual comparação foi de 28,4%.

Em reais, o custo sem participação governamental foi de R$ 19,00 por barril, ante R$ 17,34 do quarto trimestre de 2010 e R$ 16,95 por barril do primeiro trimestre do ano passado. Com a participação do governo, o custo subiu para R$ 50,66 por barril no primeiro trimestre deste ano, ante R$ 43,47 do quarto trimestre de 2010 e de R$ 43,82 do primeiro trimestre do mesmo ano.