Iguatemi vai construir shopping center em Jundiaí

Será o maior empreendimento imobiliário da região, com investimento de R$ 112 milhões

A Iguatemi anunciou nesta quarta-feira que vai construir o maior complexo imobiliário da cidade de Jundiaí, localizada a cerca de 58 km de São Paulo. O projeto inclui um shopping center, torres comerciais e um complexo imobiliário de alto padrão.

O investimento total será de 112 milhões de reais. A empresa já assinou um contrato de parceria para a construção do shopping com o grupo F A Oliva, que tem 50 anos de experiência no desenvolvimento de empreendimentos imobilários na região. O Iguatemi terá participação de 79% no shopping, que terá 30 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) e 215 lojas voltadas para as classes A e B.

O acesso ao shopping será feito pela rodovia Anhangüera, em uma região entre os dois principais acessos à cidade: a avenida Nove de Julho e a avenida Jundiaí. O resultado operacional líquido gerado pelo shopping alcança 19,2 milhões no primeiro ano de operação.

Ao justificar a escolha de Jundiaí para o desenvolvimento do projeto, a Iguatemi afirmou que a cidade possui mais de 500 indústrias e o 25º maior PIB do Brasil (10,2 bilhões de reais). Segundo o IBGE, a população da cidade é de 343 mil habitantes. O PIB per capita alcança 29,6 mil reais, bem superior à média do estado de São Paulo (18 mil reais). O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é o quarto maior do estado.

Hoje a cidade só possui um grande shopping center, apesar de formar um conglomerado urbano de 700 mil habitantes com municípios próximos como Cabreúva, Campo Limpo, Jarinu, Louveira e Várzea Paulista.

A Iguatemi é uma das maiores empresas de shopping center do Brasil. A companhia possui participação em 11 shoppings, com área bruta locável própria de 207 mil metros quadrados. Desses 11 shoppings, a empresa participa da administração de nove. No total, a Iguatemi está construindo mais quatro novos shoppings, sendo três no Estado de São Paulo e um no Distrito Federal. Neste ano, as ações da Iguatemi (IGTA3) acumulam desvalorização de 30% na Bolsa de Valores de São Paulo.