Iguatemi lucra R$ 50,9 mi no 2º trimestre, alta de 45,3%

O aumento significativo no período decorre, principalmente, do recuo das despesas financeiras por conta das quedas na alavancagem e no custo da dívida

São Paulo – A Iguatemi, dona de 17 shopping centers no País, teve lucro líquido de R$ 50,975 milhões no segundo trimestre de 2017, uma alta de 45,3% em relação ao mesmo período de 2016, conforme balanço publicado nesta terça-feira, 8, pela companhia.

No acumulado do primeiro semestre, o lucro líquido totalizou R$ 101,594 milhões, aumento de 37,7% na mesma base de comparação.

O aumento do lucro no trimestre decorre, principalmente, do recuo das despesas financeiras por conta das quedas na alavancagem e no custo da dívida.

Pelo lado operacional, também houve ganhos de receita com o recebimento de luvas pela entrada de novos lojistas, alta no faturamento com aluguéis e redução da inadimplência dos comerciantes que ocupam espaços nos shoppings.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 130,472 milhões no segundo trimestre, crescimento de 7,3%. No semestre, o Ebitda totalizou R$ 256,236 milhões, alta de 2,2%. No fim de junho, a margem Ebitda atingiu 76,1%, patamar próximo do teto da meta para o ano, que vai de 73% a 77%.

O lucro medido pelo FFO (lucro líquido antes de depreciação, amortização e efeitos não caixa) atingiu R$ 77,356 milhões de abril a junho, avanço de 24,1%. No semestre, o FFO chegou a R$ 154,454 milhões, crescimento de 19,9%.

A receita líquida atingiu R$ 169,413 milhões no segundo trimestre, variação positiva de 4,1%. No semestre, a receita foi a R$ 336,762 milhões, expansão de 4,2%. A companhia tem a meta de elevar a receita entre 2% a 7% no ano.

A Iguatemi teve uma despesa financeira líquida de R$ 43 milhões, o que representa uma queda em relação ao mesmo período do ano passado, quando atingiu R$ 53 milhões.