IBM tem prejuízo de US$ 1,05 bilhão no 4º trimestre

Com ajustes, a empresa registrou lucro de US$ 4,8 bilhões, ou US$ 5,18 por ação

São Paulo – A International Business Machine (IBM) registrou prejuízo líquido de US$ 1,05 bilhão no quarto trimestre do ano passado, o equivalente a US$ 1,14 por ação, à medida que encargos únicos com a reforma no código tributário dos Estados Unidos feriram os ganhos da companhia no período.

Com ajustes, a empresa registrou lucro de US$ 4,8 bilhões, ou US$ 5,18 por ação, enquanto analistas consultados pela FactSet esperavam lucro recorrente ligeiramente menor, de US$ 5,17 por ação.

De acordo com a companhia, a promulgação da reforma tributária nos EUA em dezembro resultou em uma cobrança única de US$ 5,5 bilhões no quarto trimestre. “A cobrança atinge vários elementos, incluindo um imposto sobre lucros acumulados no exterior e a reavaliação de ativos e passivos fiscais diferidos”. Como resultado, a taxa de imposto relatada pela IBM, que inclui a cobrança única foi de 124% no quarto trimestre e de 49% em todo o ano de 2017. A taxa de imposto operacional, que exclui a cobrança única, foi de 6% no quarto trimestre e de 7% em todo o ano, o que inclui o efeito de benefícios fiscais no primeiro e no segundo trimestres.

A receita da companhia nos três meses encerrado em dezembro subiu 4% na comparação com o quarto trimestre de 2016, para US$ 22,54 bilhões. Analistas consultados pela FactSet esperavam receita menor, de US$ 22,04 bilhões.

Foi a primeira vez que a companhia mostrou vendas superiores ao mesmo trimestre do ano anterior em 23 trimestres. Além disso, o diretor executivo (CEO) da IBM, Ginni Rometty, disse esperar que a receita da companhia continuará crescendo.

A companhia tem colocado suas apostas em tecnologias emergentes, como inteligência artificial e o blockchain.

Os investimentos mais recentes, como a computação em nuvem e a plataforma de inteligência artificial Watson, que compõem os chamados “imperativos estratégicos” da IBM, viram a receita crescer 17% na comparação anual do quarto trimestre, para US$ 11,1 bilhões. Somente o segmento em nuvem teve valorização de 30% na mesma base comparativa, para US$ 5,5 bilhões.

“Nos últimos anos, fizemos investimentos agressivos em tecnologia para reposicionar a IBM”, disse o vice-presidente sênior e diretor financeiro da companhia, James Kavanaugh. Para ele, 2018 será um marco de “todo o reforço da posição de liderança da IBM em segmentos chave de alto valor da indústria de tecnologia da informação, incluindo nuvem, inteligência artificial, segurança e blockchain”.

Apesar dos resultados acima do esperado, o prejuízo líquido pesou na decisão dos investidores. Às 19h40 (de Brasília), a ação da IBM cedia 4,35%, a US$ 161,76, no after hours em Nova York.