IBM compra a produtora de software Red Hat por US$ 34 bilhões

A aquisição foi aprovada pelos conselhos de administração da IBM e da Red Hat e está sujeita à aprovação dos acionistas da fornecedora de software

São Paulo — A IBM realizou um acordo definitivo para compra da produtora de software Red Hat por estratosféricos 34 bilhões de dólares. A Red Hat é conhecida por fornecer o sistema operacional Red Hat Linux e outros produtos de software usados em data centers do mundo inteiro. O Red Hat Linux é uma das principais variantes do sistema Linux, software livre amplamente usado em servidores na internet.

“A aquisição da Red Hat é uma mudança de jogo. Ela muda tudo sobre o mercado de computação em nuvem”, disse Ginni Rometty, presidente e CEO da IBM. “A IBM se tornará a fornecedora de nuvem híbrida número 1 do mundo, oferecendo às empresas a única solução de nuvem aberta que irá liberar todo o valor da nuvem para seus negócios”, disse Ginni num comunicado da empresa.

“O código aberto é a escolha padrão para as modernas soluções de TI, e estou incrivelmente orgulhoso do papel que a Red Hat desempenhou em tornar isso uma realidade na empresa”, disse Jim Whitehurst, presidente e CEO da Red Hat, no mesmo comunicado.

“Unir forças com a IBM nos proporcionará um nível maior de escala, recursos e capacidades para acelerar o impacto do código aberto como base para a transformação digital e levar a Red Hat a um público ainda maior – preservando nossa cultura única e compromisso inabalável para a inovação de código aberto “, prossegue Whitehurst.

Após o fechamento da aquisição, a Red Hat, que tem sede em Raleight, no estado americano da Carolina do Norte, vai operar como uma unidade separada dentro da área de “nuvem híbrida” da IBM. A Red Hat continuará a ser liderada por Jim Whitehurst e pela atual equipe de gerenciamento da Red Hat. Jim Whitehurst também se juntará à equipe de gerenciamento sênior da IBM e se reportará a Ginni Rometty. A IBM pretende manter a sede, instalações, marcas e práticas da Red Hat.

As parcerias construídas pelas companhias, incluindo aquelas com grandes provedores de nuvem como Amazon, Microsoft Azure, Google Cloud, Alibaba e outros, devem permanecer.

Segundo assessoria, acordo acelerará o crescimento da receita, margem bruta e fluxo de caixa livre da IBM dentro de 12 meses após o fechamento. A empresa pretende suspender seu programa de recompra de ações em 2020 e 2021.

A aquisição foi aprovada pelos conselhos de administração da IBM e da Red Hat e está sujeito à aprovação dos acionistas da Red Hat. Espera-se que feche no segundo semestre de 2019.