Hypermarcas vendeu ativos de limpeza e alimentação

O objetivo é se concentrar nas divisões de bens de consumo e farmacêutica

São Paulo – A trajetória de expansão do grupo Hypermarcas, empresa fundada pelo empresário goiano João Alves de Queiroz Filho, mais conhecido como Júnior, por muitos anos foi respaldada por pesadas aquisições, uma estratégia para conquistar mercado e arrebanhar marcas.

Há três anos, contudo, a companhia nacional começou a desinchar, com a venda de negócios considerados pouco estratégicos para se concentrar em duas divisões – bens de consumo e farmacêutica.

Em 2011, o grupo decidiu vender seus ativos de alimentos e limpeza, justamente os que marcaram o início do império de Júnior. O grupo se desfez de um pacote de importantes marcas, como Assolan, Perfex, Etti, Salsaretti, em operações que somaram R$ 445 milhões.

Ao concentrar os negócios em duas divisões, o grupo foi ao mercado buscar executivos para promover a expansão desses segmentos.

Luiz Eduardo Violland (ex-Nycomed) chegou em 2011 para a área farmacêutica e o alemão Nicolas Fischer (ex-Nivea), em 2012, para o setor de consumo.

Goiás

A estratégia da companhia, que chegou a investir aproximadamente R$ 8,5 bilhões em aquisições desde sua criação, é focar no crescimento orgânico e gerar maior valor ao negócio. A empresa promoveu um longo processo de reestruturação, transferindo-se para Goiás.

A cidade de Anápolis recebeu suas plantas farmacêuticas e as principais unidades de consumo foram para Senador Canedo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.