Homem de Aço deve garantir ano da Warner Bros no Brasil

Além da estreia do ‘Homem de Aço’, nesta sexta-feira, empresa investirá em licenciamento de produtos

São Paulo – O Super-Homem retorna ao Brasil esta semana, depois de sete anos. A estreia do ‘Homem de Aço’, na próxima sexta-feira (12), reforça a estratégia da Warner Bros nos últimos anos: contar histórias de super- heróis conhecidos para ampliar o faturamento.

Os últimos quatro longas com histórias de heróis produzidos pelo estúdio levaram 13 milhões de brasileiros ao cinema e movimentaram cerca de 2,5 bilhões de dólares no mundo.

O sucesso deve se repetir. O longa Homem de Aço já está sendo exibido nos Estados Unidos e se tornou a maior estreia da história do cinema no mês de junho, com uma arrecadação de 125,1 milhões de dólares – dos quais 113,1 milhões de dólares no final de semana de estreia e US$ 12 milhões de dólares na pré-estreia.

Licenciamento

Além dos filmes, a Warner aposta no licenciamento de produtos dos defensores da lei. Cerca de 200 milhões de reais, entre cadernos, roupas e itens de decoração devem ser faturados pela empresa este ano no país – um número 20% maior do que o ano passado. O Brasil é o quarto maior mercado de ‘super-heróis’ do mundo e a empresa tem cerca de 5.000 produtos licenciados por aqui.

Empresas como Mattel, Boniquet, Brasilflex, Brinquedos Bandeirante, Sulamericana Fantasias, Cereser e Toyster programam lançamentos de produtos inspirados no personagem, que vão desde brinquedos a itens de cuidado pessoal. “O Superman é um dos super-heróis mais populares do mundo dos quadrinhos e um dos mais promissores em termos de licenciamento de produtos”, afirma Marcos Bandeira de Mello, gerente-geral da Warner Bros. Consumer Products Brasil.

Além disso, o personagem está presente também em projetos como a área temática dos super-heróis e vilões da Liga da Justiça no parque Hopi Hari – conhecida como Aribabiba – e no hospital A.C. Camargo, que criou o “Hall da Justiça”, com a tematização das áreas de tratamento infantil.