Helisson Lemos deixa Mercado Livre para expandir dona do iFood

A companhia investe em 7 aplicativos, usados por mais de 100 milhões de pessoas no mundo

São Paulo – Depois de 17 anos, Helisson Lemos deixa o Mercado Livre para um novo desafio. Ex-vice-presidente da empresa e diretor geral no Brasil, ele irá encabeçar a diretoria de operações da Movile.

O cargo dele está interinamente coberto por Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre.

Lemos é o primeiro a ocupar o cargo de COO na Movile, até então inexistente. “Com esse papel novo, o objetivo é acelerar e consolidar o posicionamento de cada uma das empresas dentro da Movile”, disse.

A companhia investe em 7 aplicativos, usados por mais de 100 milhões de pessoas no mundo. Dois dos serviços foram desenvolvidos pela própria empresa: PlayKids, de conteúdo para crianças, e a Rappido, plataforma que conecta diversos serviços.

Ela investiu nos outros cinco apps, nos quais tem uma participação: iFood, um dos seus serviços mais conhecidos, para entrega de comida, Rapiddo Delivery, entrega via motoboy, Maplink, gestão logística em nuvem, Sympla, gestão de eventos e venda de ingressos e Superplayer, app de playlists personalizadas.

Crescimento acelerado

Criada há 17 anos dentro da incubadora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Movile começou como uma empresa de envio de SMS, mesmo antes do surgimento dos smartphones.

Com o tempo, diversificou sua atuação e já tem 7 aplicativos. Nos últimos 8 anos, a companhia cresceu 80% a cada ano. A meta agora é registrar crescimento anual de 50% até 2020.

Seus 1.600 funcionários estão espalhados em 15 escritórios em 7 países, inclusive no Vale do Silício.

Já os aplicativos são baixados em mais de 100 países – um dos mais internacional é o PlayKids. O iFood também extrapolou as fronteiras brasileiras e está na Colômbia, Argentina, México e Peru.

Ecossistema

Lemos trabalhou no Mercado Livre desde o início da operação. Nos últimos anos, a companhia cresceu de um site de leilões a uma gigante de marketplace, com faturamento de 884 milhões de dólares em 2016 e presença na América Latina.

“Deixo a empresa na melhor fase, com a certeza de que ela continuará a crescer”, afirmou. A companhia hoje tem diversas subsidiárias, atuando do pagamento ao envio. Juntas, as unidades formam um ecossistema em que um negócio pode fortalecer o outro.

Agora, o objetivo de Lemos é construir um ecossistema na Movile. Com investimentos em aplicativos nos mais diversos segmentos, o propósito da empresa é gerar sinergias e eficiência ao integrar os diferentes serviços que oferece. Alguns restaurantes cadastrados no iFood, por exemplo, já usam o serviço de entregas do Rappido Delivery.

Mas o maior exemplo de integração é o aplicativo Rappido. Lançado recentemente, o app concentra recarga de celular, delivery de comida, entregas, táxi, pagamentos e música. Enquanto alguns desses serviços são da própria Movile, outros são de terceiros.

“A ideia é que a pessoa possa interagir com o aplicativo do momento em que acorda até a hora de ir dormir”, disse Lemos. “Pode ouvir uma música para correr pela manhã, chamar um táxi para ir trabalhar, contratar um motoboy do Rappido Delivery para entregar um documento, pedir uma refeição pelo iFood”, exemplifica.

O aplicativo já está funcionando em Campinas, interior paulista. Além de trazer sinergias para a empresa, Lemos acredita que ele possa oferecer praticidade para o cliente.

“A grande parte da população não tem muito espaço no celular para dezenas de aplicativos. Então, quanto mais leve e útil for um app, maior sua chance de sucesso”, define Lemos.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Lissandro Bassani

    Mercadolivre? Aquele onde você não consegue conversar com ninguém que não seja um robô sobre problemas no uso do site, e é considerado culpado de tudo até (talvez) resolver seu problema?