Grupo Pão de Açúcar expande sua marca com mercados de bairro

O objetivo é, junto com mercados familiares e de bairro, ter mais capilaridade e chegar a regiões mais afastadas com baixo investimento

São Paulo – Além dos supermercados, o Grupo Pão de Açúcar está investindo em um novo negócio: parceria, consultoria e venda para pequenos mercados de bairro.

Mais de 100 pequenos varejistas já participam do programa Alidados CompreBem, lançado na metade do ano passado. É a primeira vez que a divisão aparece na divulgação de resultados da companhia, sob o departamento de Proximidade que ainda abriga o Minimercado Extra e Minuto Pão de Açúcar.

O objetivo é estender sua marca a regiões e bairros que ainda não foram explorados pela companhia, como regiões mais afastadas de grandes cidades.

“Buscamos ter capilaridade e expandir a nossa marca com baixo investimento. Em regiões mais afastadas, não teríamos como abrir um supermercado Pão de Açúcar, mas o CompreBem cumpre essa função”, disse Marcelo Bazzali, diretor de Proximidade do Grupo, em entrevista a EXAME.com.

O mercado de bairro ganha uma fachada com a marca CompreBem ao lado de seu nome original. Vendedores do Grupo Pão de Açúcar o ajudam a montar e gerenciar seu estoque.

O pequeno empresário também pode comprar suas mercadorias com descontos nos próprios centros de distribuição do GPA, que serão entregues diretamente em seu empreendimento. Quanto mais ele comprar do Pão de Açúcar, melhor serão os seus preços.

No entanto, Bazzali afirma que essa divisão não compete com o Assaí, bandeira atacadista também usada por pequenos empreendimentos. “São situações de compra diferentes”, disse.

A divisão surgiu na Colômbia como parte do Casino,  controlador do Grupo Pão de Açúcar, em 2013 como Aliados Surtimax. Ela chegou ao Brasil no ano passado.

A marca CompreBem, adquirida pelo grupo varejista, foi extinta em 2011 e substituída pela bandeira Extra. Agora, voltou a existir nesta bandeira, já que ainda era lembrada por clientes antigos. “Para lançar o Aliados, precisávamos de uma marca com boa aderência do cliente”, afirmou Bazzali.

Para que um mercado seja parceiro do Grupo Pão de Açúcar, ele precisa ter sido aberto há pelo menos um ano e cumprir certos requisitos técnicos e éticos.