Groupalia vai focar no Brasil em 2011

Empresa de vendas coletivas recebeu um aporte de 11,25 milhões de euros – e pretende investir 10 milhões de euros no Brasil

São Paulo – A rede de sites de vendas coletivas Groupalia tem como objetivo ser o primeiro ou o segundo player em todos os mercado em que entra. Dos sete países em que atua, só falta conquistar isso no Brasil. A empresa ainda não planeja essa liderança para 2011, mas para tentar chegar mais próxima de seu objetivo a longo prazo, vai focar seus investimentos de 2011 no país.

Em 2010 a empresa fez um grande esforço para melhorar sua posição na Europa e em outros países da América Latina. O plano agora é aumentar a competitividade no Brasil. “O alvo esse ano é o Brasil”, afirmou Joaquín Engel, CEO da companhia. O Groupalia ocupa o quarto lugar em vendas no mercado brasileiro, segundo a empresa. O plano para esse ano é consolidar essa posição e ficar mais próximo do terceiro colocado. “Estamos tentando muito aumentar nossa posição no Brasil, porque ser o quarto não é confortável”, afirmou o CEO. A empresa começou a operar no país em agosto.

Para crescer no país, os investimentos serão maiores no Brasil do que nos outros sete mercados onde a empresa atua. A previsão de investimentos no país nesse ano é de, pelo menos, 10 milhões de euros. Além disso, Engel espera que o mercado brasileiro cresça mais que o europeu. “O Brasil é difícil por causa da competição pesada, mas o potencial de mercado é mais alto”, afirmou. A empresa opera em dez cidades no Brasil e pretende fechar o ano em 30 – e entrar no nordeste em julho.

Apesar do foco no Brasil, a Groupalia também pretende aumentar sua presença na Europa. “Vemos pelo menos três ou quatro países muito atrativos na Europa”, afirmou o CEO. Na América Latina a empresa já está nos países que acha interessantes. E nada de planos para os Estados Unidos. “Lá ser o terceiro no mercado seria muito alto e em qualquer mercado que a gente entra queremos ser o primeiro ou segundo, senão nem entramos”, afirmou. O mercado norte-americano é dominado pelo Groupon.

Mundo

A Groupalia possui mais de seis milhões de usuários – dos quais dois milhões são no Brasil – e está presente em oito países, incluindo dois em que ela é recém chegada, Colômbia e Peru, os outros seis países são Espanha, Itália, Brasil, México, Chile e Argentina. Atualmente, os mercados que são líderes para a companhia são Espanha, Itália e Brazil. A empresa espera que, ainda em 2011, o Brasil torne-se líder entre seus mercados. 


Em março de 2011, o faturamento do grupo todo foi de 6 milhões de euros. “Estamos crescendo um milhão por mês nos últimos seis meses”, afirmou Engel. Em outubro de 2010, o faturamento era de 1 milhão de euros.

O Groupalia recebeu um aporte de 11,25 milhões de euros (cerca de 15 milhões de dólares) nessa semana. A ampliação de capital foi concedida em conjunto com os atuais acionistas da empresa e três fundos de capital de risco americanos e europeus (General Atlantic, Insight Venture Partners e Index Ventures). A unidade brasileira é a maior beneficiada com esse aporte, já que também é a que conta com a mais alta expectativa dos sócios e investidores.

A Groupalia foi fundada em Barcelona (Espanha) em maio de 2010, e desde então já recebeu três aportes. O primeiro, em outubro de 2010, foi de 5 milhões de euros (o dobro do aporte inicial realizado em abril) de seus investidores internacionais: Nauta Capital; Caixa Capital Risc, divisão de capital de risco do banco La Caixa; dos sócios-fundadores da Privalia; e de Joaquín Engel, CEO da companhia.

Em março de 2011, o grupo recebeu um financiamento público de 1 milhão de euros, concedido pela Empresa Nacional de Inovação (Enisa), organização pública vinculada ao Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo da Espanha, por meio da Unidade de Política Geral das pequenas e médias empresas.

Em 2011 a empresa espera faturar mais de 100 milhões de euros. A contribuição dos fundos é uma iniciativa importante para a Groupalia conseguir garantir seu crescimento e ultrapassar 100 milhões de euros (150 milhões de dólares) de faturamento em 2011. O valor representa 16 vezes a receita de 2010.

No Brasil ela está presente em dez regiões: São Paulo (SP), região do ABCD (SP), Campinas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Brasília (DF), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).