Grã-Bretanha abre caminho para Murdoch disputar Sky com Comcast

Magnata da mídia poderá fazer uma oferta pela companhia de TV por assinatura se ele vender um de seus canais na região, segundo o governo local

Londres – Rupert Murdoch vai enfrentar uma disputa de 22 bilhões de libras (29,3 bilhões de dólares) com a empresa norte-americana de TV a cabo Comcast pela empresa europeia de TV por assinatura Sky, depois que a Grã-Bretanha liberou um oferta do magnata da mídia, desde que ele venda sua unidade de TV de notícias.

Uma venda da Sky News para a Disney ou um terceiro interessado seria suficiente para aliviar as preocupações sobre a influência do magnata da mídia de 87 anos, disse a Grã-Bretanha na terça-feira.

A Twenty-First Century Fox, de Murdoch, lançou uma oferta de 10,75 libras por ação para comprar toda a Sky em dezembro de 2016, mas a aquisição foi detida por políticos e reguladores que temem que isso lhe daria muita influência quando combinado com seus jornais.

A Comcast aproveitou o atraso para fazer sua própria oferta pela Sky, com uma oferta de 12,50 libras por ação em abril, superando a oferta da Fox.

As ações da Sky subiram 0,3 por cento, a 13,51 libras na terça-feira, indicando que os investidores acham que a novela está longe de acabar.

Analistas do Credit Suisse esperam que a Fox, depois de um longo processo regulatório de 16 meses, faça uma oferta maior pela Sky, superior à proposta da Comcast.

“Em nossa opinião, o preço da ação da Sky já está antecipando tal resultado, com as ações fechando em 4 de junho em 13,50 libras, 8 por cento acima da oferta da Comcast”, disseram eles.

Mesmo que a Fox supere a Comcast, o controle de Murdoch sobre o grupo não deve durar muito porque ele concordou em vender muitos de seus ativos de TV e filmes, incluindo a Sky News, para a Walt Disney em um acordo separado de 52 bilhões de dólares.

O secretário de Cultura britânico, Matt Hancock, disse que a proposta final da Fox de vender a Sky News para a Disney, ou para um comprador alternativo adequado, com financiamento garantido por pelo menos 10 anos, provavelmente seria o melhor remédio para as preocupações de interesse público identificadas.

Mas ele disse que precisa ter certeza de que a Sky News permanecerá financeiramente viável a longo prazo, que possa operar como um grande provedora de notícias sediada no Reino Unido e que possa tomar suas decisões editoriais de forma independente.

Os compromissos extras serão objeto de consulta nos próximos 15 dias com o objetivo de chegar a um acordo aceitável, disse ele.

“Estou otimista de que podemos alcançar esse objetivo, especialmente pela disposição que a 21st Century Fox demonstrou ao desenvolver essas propostas confiáveis”, disse ele a legisladores.

A Comcast anunciou sua oferta firme pela Sky em abril, levando os membros independentes da Sky a retirar a sua recomendação em favor da oferta da Fox, que já possui 39 por cento da Sky.

A Sky foi formada em 1990, quando Murdoch fundiu seu incipiente serviço britânico de TV por satélite com um rival.

A empresa é presidida pelo filho de Murdoch, James, que desempenhou um papel fundamental na construção da empresa em uma grande emissora europeia, com operações na Alemanha, Áustria e Itália, além da Grã-Bretanha.

As já complexas permutas de acordos em torno da Sky se tornaram ainda mais complicadas no mês passado, quando a Comcast anunciou que estava preparando uma oferta maior e em dinheiro para todos os ativos que a Fox havia concordado em vender para a Disney.