Governo da Colômbia pede inabilitação da Odebrecht por 20 anos

Segundo a vice-presidente do país, empresas do grupo protagonizaram o caso de corrupção transnacional "mais notório dos últimos anos"

O governo colombiano pediu uma sanção dura para a construtora brasileira Odebrecht, envolvida em uma casta rede de corrupção: ficar impedida de participar de licitações públicas no país durante 20 anos.

A vice-presidente Marta Lucía Ramírez levou o pedido à Superintendência de Sociedades – autoridade de controle – para impôr à empreiteira a punição máxima prevista em lei, segundo carta divulgada nesta terça-feira.

Este “pedido é efetuado levando em conta que empresas do grupo Odebrecht protagonizaram o caso de propina e corrupção transnacional mais notório dos últimos anos em vários países do mundo, inclusive a Colômbia”, escreveu Ramírez.

A vice-presidente rejeitou a proposta da construtora de solucionar o escândalo com uma reparação equivalente a US$ 30 milhões e pediu uma “pena pecuniária correspondente” aos delitos cometidos para obter a construção da Rota do Sol II – maior obra viária do país.

“Aceitar um acordo de compensação econômica (…) acabaria sendo um incentivo perverso para que esse tipo de crime continue sendo cometido”, enfatizou Ramírez.