Goldman Sachs tem resultado acima do esperado no 1º tri

Banco divulgou alta de 5,5% no lucro do primeiro trimestre em um resultado impulsionado por comissões

São Paulo – O Goldman Sachs divulgou nesta terça-feira alta de 5,5 por cento no lucro do primeiro trimestre, em um resultado melhor do que o esperado pelo mercado que foi impulsionado por comissões por assessoria financeira e seus próprios investimentos.

O lucro líquido atribuível a detentores de ações ordinárias do principal banco de Wall Street subiu para 2,19 bilhões de dólares, ou 4,29 dólares por ação, no primeiro trimestre, ante 2,07 bilhões, ou 3,92 dólares por papel, no mesmo período de 2012.

Analistas, em média, esperavam lucro antes de eventos não recorrentes de 3,88 dólares por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

O presidente-executivo da instituição, Lloyd Blankfein, caracterizou o resultado como “em geral, sólido”.

“Ainda assim, o potencial para instabilidade macroeconômica foi sentido no trimestre e limitou a atividade corporativa e dos investidores”, acrescentou o executivo, em comunicado.

A receita total subiu 1,4 por cento, para 10,09 bilhões de dólares, em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o faturamento obtido com negócios com renda fixa, moedas e commodities em nome de clientes caiu 7 por cento, para 3,22 bilhões de dólares.

A receita da divisão de banco de investimento do Goldman Sachs cresceu 36 por cento no período, para 1,57 bilhão de dólares.

O segmento de Investimento e Empréstimos do banco, que investe e empresta dinheiro da própria instituição, entregou receita de 2,07 bilhões de dólares, representando 20,5 por cento da receita líquida geral. O segmento foi o segundo maior contribuidor para a receita.

A receita com negócios para clientes caiu 10 por cento, para 5,14 bilhões de dólares, mas ainda assim representou quase metade do faturamento total da instituição.

Enquanto isso, as despesas totais operacionais do Goldman Sachs praticamente se mantiveram no patamar de 6,72 bilhões de dólares.

O retorno sobre patrimônio anualizado do Goldman Sachs, uma medida da lucratividade de um banco, subiu para 12,4 por cento no primeiro trimestre ante 12,2 por cento no mesmo período de 2012. Apesar disso, o indicador seguiu bem abaixo de níveis pré-crise, de acima de 30 por cento.