Gol rebate acusações sobre propina

Notícia publicada na revista Crusoe, em 9 de maio, intitulada "Os voos da propina", fala sobre eventos supostamente ocorridos nos anos de 2005 e 2006

São Paulo – A Gol divulgou nesta sexta-feira, 11, comunicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em resposta à notícia publicada na revista digital Crusoe, em 9 de maio, intitulada “Os voos da propina”, acerca de eventos supostamente ocorridos nos anos de 2005 e 2006.

A companhia diz que conforme fato relevante divulgado em 12 de dezembro de 2016, celebrou Acordo de Leniência com o Ministério Público Federal. Afirma ainda que conforme informado no formulário de referência da companhia, contratou escritórios de advocacia especializados para conduzir uma investigação independente de determinadas alegações relativas à companhia, “tendo tal investigação já sido concluída e seus resultados divulgados no formulário de referência”.

A Gol informa que adicionalmente, após a conclusão da investigação, comunicou voluntariamente os seus resultados às autoridades governamentais competentes, informou ao mercado e segue cooperando com as autoridades.

“Os resultados da investigação ou as informações que a companhia possui até o momento não corroboram com as alegações da matéria”, diz comunicado.