Gol prevê aumento do preços de passagens

Empresa espera recuperação de 4% a 5% no indicador dos preços de passagens aéreas ainda esse ano

São Paulo – A Gol espera um aumento no preço das passagens aéreas ainda em 2011. A empresa acredita na recuperação de 4% a 5% na taxa que mede os preços no setor (yield) – o que não significa, necessariamente, aumentos de tarifas da mesma ordem, segundo Constantino de Oliveira Jr, fundador e presidente da Gol.

“Como os custos estruturais sobem, é natural que haja uma recuperação de preço”, disse Constantino. A Gol credita seu resultado do segundo trimestre (um prejuízo líquido de 358,7 milhões de reais) à alta no preço dos combustíveis e à competição acirrada no setor, que derrubou as tarifas. O executivo acredita que a recuperação pode acontecer nos próximos meses, sem precisar prazos, e afirmou que ele será “bem-vindo”.

Os yields apresentaram queda de 13,8% nesse trimestre na comparação com o mesmo de 2010. No período, a oferta da indústria cresceu 14,4%. A taxa de ocupação na malha aérea GOL no trimestre atingiu 66,5%, uma evolução de 6,2 pontos percentuais em comparação ao segundo trimestre de 2010.

A Gol prevê que a demanda no mercado doméstico vai crescer entre 10% e 15% em 2011. Constantino não acredita que a crise econômica internacional vai afetar o crescimento, “a menos que tenha impacto em custo ou preço de passagens, não muda”, disse.

Webjet 

A Gol prevê a incorporação dos resultados da Webjet em seu balanço do próximo trimestre. No momento, a empresa aguarda a autorização da Anac – e depois ainda há a peneira do Cade. 

O cenário atual, de crise, não deve atrasar a incorporação da Webjet, segundo Constantino. A Gol também não espera que a incorporação da Webjet na holding altere os índices de alavancagem – a dívida de 214,7 milhões de reais da Webjet será incorporada no resultado.

Redução de custos

A Gol anunciou cortes de custos que devem ter impacto da ordem de 650 milhões de reais. O impacto deve ser sentido a partir do começo de 2012, segundo a empresa. O corte de despesas será realizado em várias áreas, entre elas manutenção e gastos à bordo.