Gol espera alta em receita e queda nos custos no 4º trimestre

Empresa também estima margem Ebitda — lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização — entre 37% e 39%

São Paulo — A receita unitária por passageiro (Prask) da Gol deve ter crescido cerca de 11% no quarto trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, segundo dados preliminares e não auditados divulgados pela companhia aérea nesta quarta-feira em atualização ao investidor.

A empresa espera também uma elevação de aproximadamente 11% para a receita unitária (Rask) no trimestre findo em dezembro na base ano a ano.

Os custos unitários excluindo combustíveis deverão mostrar declínio de aproximadamente 10% em relação ao quarto trimestre de 2018, afirmou a companhia, citando melhor produtividade, o que foi parcialmente compensado por aumentos de impostos sobre a folha de pagamento e de depreciação pela adição de aeronaves.

Em relação aos custos incluindo combustíveis, a aérea prevê declínio de cerca de 21%, influenciada pela redução do preço médio do querosene de aviação em aproximadamente 13% e queda de 2% no consumo de combustível por hora operada.

Apesar da alta na receita e queda no custo esperado, a companhia calcula um lucro por ação de 0,6 real para o quarto trimestre, excluindo variação cambial, o que representaria uma queda em relação ao mesmo período do ano anterior, quando tal resultado ficou em 0,73 real.

A Gol calcula que a margem Ebitda no último trimestre do ano passado ficou entre 37% e 39%, em dados excluindo despesas não recorrentes de aproximadamente 209 milhões de reais no período. Um ano antes, tal percentual ficou em 16,3%, em números ajustados de acordo com o IFRS 16, não auditados.

A margem Ebit é calculada no intervalo de 26% a 27%.

No quarto trimestre, a demanda (RPK) e a oferta (RPK) devem ter mostrado aumento de cerca de 6% cada.

A empresa afirmou que a alavancagem financeira medida pelo indicador dívida líquida/Ebitda alcançou 2,7 vezes no trimestre encerrado em dezembro de 2019. Um ano antes esse indicador era de 2,1 vezes.

No último trimestre do ano passado, a Gol amortizou aproximadamente 100 milhões de reais de dívida, e a liquidez total no final do período é estimada em 4,3 bilhões de reais, contra 4 bilhões de reais nos três meses anteriores.