Gol compra Varig por US$ 275 milhões

Operação envolve troca de ações e pagamento em dinheiro

A Gol anunciou hoje a compra da Varig por US$ 275 milhões. O capital total será transferido da VarigLog para a Gol com o pagamento de US$ 98 milhões em dinheiro e com a entrega de 6,1 milhões de ações preferenciais emitidas pela Gol (ou o equivalente a 3% do capital). A Gol também vai assumir uma dívida de R$ 100 milhões em debêntures (títulos de empresas), o que levaria o custo de aquisição para US$ 320 milhões.

Com o negócio, a Gol espera tirar da TAM a liderança no mercado brasileiro de aviação. “A Gol e a Varig juntas, por meio de eficiências geradas ao mercado e aos consumidores, estarão prontas a assumir a liderança do mercado doméstico brasileiro e internacional das companhias brasileiras”, afirmou a Gol em nota. A operação está sujeita à obtenção de todas as aprovações das autoridades reguladoras, incluindo do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A aquisição da nova Varig será realizada pela GTI S.A, uma subsidiária da Gol. Para a Gol, a nova Varig é uma empresa isolada da velha Varig, que tem dívidas bilionárias, e foi criada e alienada inteiramente livre de passivos de qualquer natureza (civis, trabalhistas, tributários e previdenciários).

A Gol e a Varig manterão demonstrações financeiras separadas. A Varig operará com marca própria, mas deve incorporar o modelo de gestão da Gol. As diferenças entre as duas empresas aéreas continuarão a existir. A Gol vai operar em classe única em todos os seus aviões. Já a Varig vai ter duas classes, econômica e executiva, em seus vôos internacionais. Os passageiros desses vôos que chegam ao Brasil pelo Rio de Janeiro e São Paulo poderão viajar de Gol para outras cidades. No mercado doméstico, a Varig vai operar em classe única de serviços, priorizando vôos entre os principais centros econômicos. Seus centros de operação serão os aeroportos de Congonhas (São Paulo), Cumbica (Guarulhos), Santos Dumont (Rio) e Galeão (Rio). Também vai continuar a trabalhar com o programa de milhagem Smiles.

Com a combinação das empresas, a Gol promete reduzir os custos das tarifas. “A Gol acredita que há oportunidade de maximizar o poder de compra das duas subsidiárias para reduzir ainda mais os custos operacionais, aumentar a eficiência, incorporar mais inovações no mercado de transporte aéreo e repassar os benefícios da sinergia entre as empresas aos seus clientes”, afirmou em nota.

A Varig opera atualmente 17 aeronaves e deverá aumentar sua frota para 34 aviões, sendo 20 Boeing 737 e 14 Boeing 767. Essa frota permitirá à Varig operar mais 11 destinos internacionais: Frankfurt, Londres, Madri, Milão, Miami, Nova York, Cidade do México, Buenos Aires, Santiago, Bogotá e Caracas.

Leia também:

O que já foi publicado por EXAME sobre a Varig

O que já foi publicado por EXAME sobre a Gol