GM vai reduzir jornada de trabalho para driblar crise

Funcionários da Opel, subsidiária da montadora americana na Alemanha, vão trabalhar 20 dias a menos até o fim do ano

São Paulo – A General Motors não descarta a possibilidade de fechar algumas de suas unidades no mercado europeu, mas, antes de tomar uma decisão mais drástica, a montadora vem adotando medidas menos radicais por lá. Nesta quinta-feira, a Opel, subsidiária da GM na Alemanha, anunciou que vai reduzir a jornada de trabalho de seus funcionários a fim de driblar a crise.

Cerca de 20 dias de trabalho serão cortados a partir de setembro até o fim do ano. A companhia, no entanto, não divulga quais dias serão riscados do calendário da empresa. 

“O mercado europeu de automóveis está diminuindo substancialmente, por isso, reduzir as horas de trabalho é a decisão mais acertada”, afirmou Holger Kimmes, membro do conselho da Opel, em comunicado.

Segundo dados de mercado, a GM deve economizar cerca de 50 milhões de dólares com a decisão. O volume é bem menor que o prejuízo acumulado pela montadora no segundo trimestre do ano na Europa, mais de 360 milhões de dólares.

Os funcionários da montadora serão subsidiados pelo governo alemão nos dias em que ficarem parados.