GE fecha último trimestre com lucro, mas registra prejuízo em 2018

Lucros alcançaram os US$ 574 milhões, enquanto o resultado em comparação com o mesmo período do ano passado foi o prejuízo de US$ 11 bilhões

A General Electric anunciou lucros no último trimestre de 2018, contrastando com um prejuízo anual, em parte devido a um acordo preliminar de US$ 1,5 bilhão com autoridades dos Estados Unidos pela aquisição de hipotecas de alto risco antes da crise financeira de 2008.

Os lucros no quarto trimestre foram de US$ 574 milhões, comparado a um prejuízo de US$ 11 bilhões no mesmo período do ano passado devido a gastos pontuais, que incluíam a reforma tributária nos Estados Unidos.

As receitas trimestrais foram de US$ 33,3 bilhões, marcando um aumento de 5,3%, acima do projetado.

A gigante industrial, que ficou de fora do prestigioso Dow Jones após uma longa queda, continuou com problemas em sua divisão de energia, que sofreu prejuízo de US$ 872 milhões. Essa fraqueza impactou fortemente o prejuízo anual de US$ 22,8 bilhões em 2018.

Mas outras divisões foram lucrativas, e, por isso, o diretor executivo da firma, H. Lawrence Culp, confiou que os resultados seriam revertidos.

“Nossa estratégia é clara: alavancar nosso balanço e fortalecer nossos negócios, começando com a energia, para a qual estamos melhorando a execução, o atendimento ao cliente e a maneira como definimos prioridades na GE”, disse Culp.

“Temos mais a fazer, mas estou animado com as mudanças que estamos fazendo para fortalecer a GE”.

A GE anunciou um acordo com o Departamento de Justiça no valor de US$ 1,5 bilhão de dólares para hipotecas subprime adquiridas por uma de suas unidades entre 2005 e 2007, antes do início da crise financeira global.

Os lucros trimestrais foram convertidos em 17 centavos por ação, abaixo dos 22 centavos esperados pelos analistas.