Fundadores do WhatsApp entram para a lista dos bilionários

Após venda do aplicativo para o Facebook por U$ 19 bilhões de dólares, os fundadores Jan Koum e Brian Acton possuem agora US$ 6,8 e US$ 3 bilhões, estima Forbes

São Paulo – Jan Koum e Brian Acton acordaram nesta quinta-feira fazendo parte do seleto grupo de pessoas com mais de 10 dígitos em suas contas bancárias. Os fundadores do WhatsApp são os mais novos bilionários que chegaram nesta marca graças ao Facebook.

Mark Zuckerberg anunciou ontem, por sua conta oficial na sua rede social, que irá comprar o aplicativo de mensagens instanâneas por 19 bilhões de dólares, sendo 4 bilhões em dinheiro, 12 em ações e os outros três em forma de pagamento a decidir.

Jan Koum, um dos fundadores e o presidente do Whatsapp, era dono de 45% de sua companhia, o que o deixa com uma fortuna de 6,8 bilhões de dólares, segundo cálculos da revista Forbes. Brian Acton, co-fundador, possuía 20% da empresa e agora têm nas mãos 3 bilhões de dólares.

Koum, além dos bilhões, ficou também com uma cadeira na mesa executiva do Facebook. Ironicamente, o ucraniano, que vivia em uma casa sem água quente e migrou para os Estados Unidos aos 16 anos, e seu sócio haviam tentado uma vaga na equipe da rede social em 2007, mas não foram aceitos.

O criador do Whatsapp aprendeu computação sozinho e chegou a fazer parte de alguns grupos de hackers, até entrar para o Yahoo, onde conheceu Acton. Em 2007 deixaram a empresa e, após a decepção de terem seus currículos negados por Zuckerberg, passaram um ano viajando pelo mundo.

Em 2009, o surgimento do iPhone e da App Store chamou a atenção de Koum, que se juntou ao amigo para desenvolver um aplicativo que colocasse o status dos contatos do telefone ao lado dos seus nomes. Frases como “não posso falar”, “estou na academia” e “minha bateria vai acabar”.

Assim começou o WhatsApp, que logo passou de compartilhamento de status para troca de mensagens instantâneas, o que gerou 250.000 downloads em 2009. 

No fim de 2013, esse número já havia chegado a 200 milhões, e a pequena start up que começou com duas pessoas hoje tem 50 funcionários. Ela estava com planos de se mudar para uma nova sede e dobrar o número de empregads.

Um fundo de investimentos a avaliou em 1,5 bilhão de dólares. O Facebook achou que o WhatsApp vale pelo menos 12 vezes mais.