Ford mostra Ka sedã de olho na disputa dos compactos

O modelo, que será produzido na Bahia, começa a ser vendido só em julho

São Paulo – A Ford do Brasil mostrou na segunda-feira, 3, o novo Ka sedã, modelo global da marca que deve começar a ser vendido só em julho, junto com a versão hatchback, apresentada pela empresa em novembro.

As duas versões foram desenvolvidas no Brasil, em parceria com engenheiros e designers de outras fábricas do grupo no mundo e serão produzidas em Camaçari (BA).

Simultaneamente à apresentação em São Paulo, o novo Ka, totalmente diferente do anterior, foi mostrado no Salão de Nova Délhi, na Índia, onde também será produzido.

Posteriormente, o compacto será feito em outros países, a exemplo do que ocorre com o EcoSport, lançando no Brasil e hoje fabricado na China, Índia e Tailândia. “É uma grande honra para a gente poder ter carros projetados no Brasil para o mundo todo”, diz Rogelio Golfarb, diretor da Ford.

O Ka hatch será o modelo mais barato da Ford (o preço não foi revelado) e vai atuar no concorrido segmento de carros compactos, responsável por cerca de 60% das vendas de automóveis no País. A versão sedã deve ter preço na faixa dos R$ 30 mil. Compactos com quatro portas representam 20% das vendas totais.

Além do antigo Ka, que deixou de ser fabricado no fim do ano, o novo modelo, que terá motores 1.0 e 1.5 substituirá o Fiesta Rocam, vendido hoje entre R$ 27 mil e R$ 36 mil.

Segundo o presidente da Ford América do Sul, Steve Armstrong, o novo Ka vai “colocar a Ford em uma posição estratégica para atender à crescente demanda do segmento de compactos no Brasil e outros importantes mercados com um produto inédito”.


O novo Ka terá, por exemplo, controle de estabilidade e o sistema denominado MyFord Dock, que permite usar e recarregar aparelhos como celular, tocadores de MP3 e GPS, integrados com o sistema de conectividade do veículo.

O segmento de compactos também é o que reúne maior número de competidores. Nesta quarta-feira, 5, a Volkswagen lança o up!, que tem a missão de ser o Fusca do futuro, atraindo consumidores que hoje não têm condições de adquirir um modelo zero-quilômetro.

No meio do ano chegam o Nissan March nacional – que será fabricado em Resende (RJ) – e o importado chinês Geely GC2. Em 2015 será a vez dos substitutos do Chevrolet Celta e do Fiat Mille, além do Chery QQ e do JAC J3, todos nacionais.

Hoje, a lista de compactos de maior venda tem Gol, Uno, Palio, Fox, Fiesta e HB20, mas a categoria inclui modelos mais luxuosos como Audi A1 e Mini.

Global

Com o novo Ka, a Ford antecipa para 2014 o plano anunciado há dois anos de ter toda sua linha composta por carros globais (produzidos ou vendidos em vários países) até 2015. “Seremos a primeira fabricante no Brasil a ter toda a sua linha composta de produtos globais”, diz Armstrong. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.