Financial Times reduz impresso e investe mais em digital

Segundo editor da publicação, jornal tem de gastar menos dinheiro para produzir o impresso, para que possam investir na melhoria da sua presença online

São Paulo – Um dos principais jornais britânicos, o Financial Times está migrando as suas forças para o meio digital. Não à toa, 25 pessoas da equipe do impresso estão arrumando as suas coisas para deixar a redação, foi o que anuncio o editor da publicação, Lionel Barber.

Em um memorando enviado por e-mail para o pessoal, Barber disse que a FT tem de gastar menos dinheiro (e tempo) para produzir o impresso, para que possam investir na melhoria da sua presença online. “Nós precisamos garantir que estamos servindo a uma plataforma digital primeiro” ele escreveu.

“A nossa causa comum é o de garantir o FT futuro está em um mercado cada vez mais competitivo, onde os títulos antigos estão sendo rotineiramente interrompido por novos operadores, como Google e LinkedIn e Twitter “, explicou.

“Nossos concorrentes são as empresa de tecnologia, que revolucionam o negócio de notícias através da mídia de personalização, agregação e social. Para se ter uma ideia, os dispositivos moveis, por exemplo, agora já respondem por 25% de todo o tráfego do FT digital. Seria imprudente para nós para ficarmos parados”, finaliza Barber.