Fabricante de armas Colt recorre à lei de falências

Operação "permitirá a venda acelerada das atividades da Colt nos Estados Unidos e Canadá", afirma o grupo em comunicado

O grupo americano Colt Defense LLC, que fabrica as célebres armas de mesmo nome e que está com grandes dívidas, anunciou nesta segunda-feira que recorreu à lei de falências.

A operação “permitirá a venda acelerada das atividades da Colt nos Estados Unidos e Canadá“, afirma o grupo em um comunicado, que confirma uma informação do Wall Street Journal.

O fundo de investimentos Sciens Capital Management aceitou apresentar uma primeira oferta de compra, para que o grupo consiga sanear a situação financeira e atrair outros potenciais compradores.

A Colt prevê prosseguir normalmente com suas operações durante o período, que deve durar de 60 a 90 dias.

A Colt Defense não conseguiu chegar a um acordo com a maioria dos credores para reduzir o peso de sua dívida e obter a liquidez necessária para enfrentar os próximos vencimentos.

O grupo foi criado em 1855 por Samuel Colt e se tornou famoso com seu revólver, que virou a arma utilizada na “conquista do oeste” dos Estados Unidos.

Com sede em Hartford (Connecticut), o grupo já havia sido obrigado a recorrer à proteção da lei de falências no início da década de 1990.