EXAME homenageia empresários nipo-brasileiros

Cerimônia, em São Paulo, destaca o empreendedorismo da maior comunidade japonesa fora de sua terra natal

A Revista EXAME promoveu, na noite desta quarta-feira (4/6), o Encontro EXAME Centenário da Imigração Japonesa, uma cerimônia para homenagear o empreendedorismo da maior comunidade nipônica fora do Japão. Estima-se que, hoje, haja 1,3 milhão de nipo-brasileiros vivendo no país.

A homenagem destacou os valores da sociedade japonesa que influenciaram o modo como seus imigrantes se estabeleceram no Brasil e fizeram negócios. “A família unida em torno dos negócios, as redes sociais de apoio, o respeito à hierarquia, a disciplina e a disposição para poupar são algumas das maiores contribuições da comunidade japonesa”, afirmou o vice-presidente executivo da Editora Abril, Jairo Mendes Leal, na abertura do evento.

Avançar dentro das regras

Os participantes também assistiram a um debate sobre as contribuições dos nipo-brasileiros à cultura empresarial do país. Para debatedores, perseverança, disciplina, respeito à hierarquia, pensamento coletivo e capacidade de poupança são as principais características dos empreendedores japoneses.

“O japonês tem muita determinação, e é essa perseverança que o faz progredir”, afirmou Otto Nogami, economista e vice-coordenador do MBA do Ibmec. Mas o que poderia desembocar em um forte individualismo transforma-se em esforço coletivo, de acordo com Célia Sakurai, autora do livro Os Japoneses e doutora em Ciências Sociais. “A ajuda mútua e as cooperativas foram fundamentais para a comunidade. Essa cultura associativa vem do Japão”, disse.

Em uma sociedade fortemente hierarquizada e patriarcal, Célia também destacou o papel das mulheres. Além de administrar a casa, as mulheres japonesas são responsáveis pela educação dos filhos e pela gestão das finanças da família. Cabe, ao homem, o papel de provedor.

Uma sociedade deste tipo pode, olhada de fora, parecer rígida demais para ser criativa e sobreviver ao dinamismo dos novos tempos. Mas, para Alexandre Uehara, vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos Japoneses, um dos segredos dos japoneses é saber conciliar inovação e respeito às regras. Para provar a criatividade nipônica, Uehara cita exemplos recentes de sucesso mundial, como o console Wii, da Nintendo, que vem causando grandes dores de cabeça a concorrentes como a Microsoft e a Sony, com seu inovador controle remoto. “A criatividade japonesa não é usada para burlar as regras; ela é usada para melhorar os processos sem desrespeitar as normas”, afirmou.

Homenagem

Onze famílias e empresários foram homenageados na cerimônia:

– Chieko Aoki, da Blue Tree Hotels;

– Hideaki Iijima, da Soho Hair International;

– Ruy Ohtake, da Ruy Ohtake Arquitetura e Urbanismo;

– Satoshi Yokota, vice-presidente executivo da Embraer;

– Família Kitano, da Yoki;

– Família Kurita, da Hikari;

– Família Maeda, do Grupo Maeda;

– Família Nakaya, da Sakura Nakaya Alimentos;

– Família Sasazaki, da Sasazaki;

– Família Takaoka, da Y.Takaoka;

– Shunji Nishimura e família, da Jacto

Durante os agradecimentos, em comum, os homenageados destacaram o orgulho de pertencer a uma comunidade conhecida pelo seu empenho em trabalhar e prosperar. Também ressaltaram o desejo de continuar atuando para contribuir para o desenvolvimento do Brasil, país que os acolheu. “O Brasil e o Japão devem ser como um par de hachi [os tradicionais palitos usados para comer ], só funcionam juntos e do mesmo tamanho”, resumiu Chieko Aoki, ao receber sua homenagem.