Esta empresa quer deixar o almoço na firma mais tecnológico

A Sapore, que tem operações no Brasil, México, Colômbia e Argentina, serve diariamente mais de 1 milhão de refeições

São Paulo – A Sapore acredita que mesmo o horário de almoço pode ficar mais tecnológico. A empresa de restaurantes corporativos ampliou o departamento de tecnologia e investe em inovação para melhorar seus serviços.

Para acelerar a criação de novas soluções, a empresa promoveu um hackathon este mês na sede de sua empresa. O evento – cujo nome mistura as palavras “maratona” e “hacker” – é comum em empresas de tecnolgia e reúne, durante um dia inteiro, desenvolvedores para criar soluções para uma companhia.

Na Sapore, os grupos buscaram ideias para quatro frentes: autoatendimento no caixa do restaurante, como abrir um canal direto para realizar pesquisas de satisfação, como integrar as novas linhas de alimentos com tecnologia e soluções para o delivery de pratos.

Cerca de 20 desenvolvedores se uniram a colaboradores da Sapore, das equipes de Tecnologia e Operações, e passaram o dia pensando em novas ideias. Os desenvolvedores foram convidados pela MB Lab, empresa de tecnologia.

Os projetos vencedores podem ser colocados em prática nos mais de 1.100 restaurantes por todo o país.

A empresa, que ainda tem operações no México, Colômbia e Argentina, serve diariamente mais de 1 milhão de refeições e trabalha com 15 mil colaboradores. Em 2016, o faturamento da empresa foi de 1,7 bilhão de reais.

Prato tecnológico

O investimento em tecnologia entrou no planejamento estratégico da empresa há cerca de um ano, Desde então, a equipe de tecnologia aumentou, assim como o orçamento para a área, diz a diretora de TI da Sapore, Cecília Savastano.

Desde então, já mudou alguns processos e criou novos produtos. Um deles é o aplicativo Sapore Pay, que permite que o cliente faça pedidos e pague por eles pelo celular, como se fosse um iFood para restaurantes corporativos.

O produto já está disponível em 20 restaurantes corporativos em São Paulo e a ideia, de acordo com Savastano, é abrir a opção também para o público geral.

A área também criou totens de autoatendimento, que já funcionam como caixa em cerca de 20 restaurantes e ajudam a diminuir as filas.

Outra inovação não é tão perceptível pelo público. A Sapore integrou o sistema dos POS, as maquininhas de cartão, aos seus próprios, para contabilizar automaticamente as vendas nos restaurantes.