Escolha de sócio da Vetria termina em meados de 2013

Capitalização da companhia deve aguardar licenças dos projetos, afirmou diretor da empresa

São Paulo – A procura por um sócio investidor para a Vetria Mineração, para explorar minério de ferro do Maciço de Urucum (MS), só deve terminar em meados de 2013. A opinião é do diretor de Projetos da empresa, Sandro Pasini. Segundo ele, a Vetria precisa receber todas as licenças que envolvem o projeto antes de se capitalizar. A previsão do executivo é que as autorizações para o negócio e a certificação da reserva do minério estejam em poder da Vetria no fim de janeiro.

Pasini explicou que a autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para o projeto no Porto de Santos é a que poderia apresentar maior dificuldade. O executivo disse, porém, que o processo está em fase avançada e que tudo será concluído até o final do mês que vem. “Todas as licenças estão bem encaminhadas”, afirmou nesta terça-feira, após palestra em evento sobre a indústria ferroviária, na capital paulista.

Ainda de acordo com Pasini, o fato de a mina de ferro e a ferrovia serem atualmente operacionais facilita a obtenção das autorizações necessárias ao projeto de Urucum. “As licenças para a mina e a ferrovia dizem respeito a aumento de capacidade, o que é mais fácil.”

O projeto no Maciço de Urucum tem previsão de investimentos de R$ 7,6 bilhões para aumento da produção do minério, ampliação da capacidade da ferrovia de Corumbá a Santos e construção de um terminal próprio no porto da cidade paulista. A estimativa é que a produção chegue, inicialmente, a 20 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, com possibilidade de mais 7,5 milhões de toneladas nos anos seguintes. A Vetria é uma empresa formada pela parceria da ALL, Triunfo e Vetorial Mineração.