Escoamento de safra recorde melhora resultado da Rumo no 4º tri

A companhia anunciou nesta terça-feira que teve prejuízo líquido de 57,4 milhões de reais no período, perda 87,4% menor do que em igual etapa de 2016

São Paulo – O escoamento de uma safra recorde de grãos como milho e arroz deu um impulso ao resultado operacional da Rumo, mas não a ponto de impedir a empresa de concessões de logística fechasse o quarto trimestre com prejuízo.

A companhia anunciou nesta terça-feira que teve prejuízo líquido de 57,4 milhões de reais no período, perda 87,4 por cento menor do que em igual etapa de 2016.

O resultado operacional da companhia medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) somou 730,4 milhões de reais entre outubro e dezembro, alta de 110 por cento na comparação anual. A margem Ebitda cresceu 11,6 pontos percentuais, para 45,9 por cento.

A Rumo atribuiu a evolução a melhorias operacionais e expansão da capacidade, o que lhe permitiu captar maiores volumes de carga, diluindo custos, inclusive com redução expressiva no consumo de diesel.

A empresa admitiu, no entanto, que o avanço também refletiu a fraca base de comparação de 2016, ano de quebra de safra.

“O quarto trimestre foi beneficiado pela demanda por transporte de grãos, uma vez que as fortes safras de soja e milho estenderam as exportações até o final do ano”, afirmou a Rumo no relatório.

O volume transportado pela malha da empresa deu um salto de 79 por cento no trimestre, para 13,35 bilhões de TKU. Isso ajudou a receita líquida da empresa a subir 56,9 por cento, a 1,59 bilhão de reais.

A alavancagem financeira da empresa, medida pela dívida líquida em relação ao Ebitda caiu para 2,6 vezes no fim de 2017, ante 4 vezes em setembro e 4,4 vezes no final de 2016.